Brasil

Governadores avisam que não cumprirão decreto sobre atividades essenciais

Seis estados e o distrito federal não vão aderir ao decreto e continuarão mantendo academias e salões de beleza fechados, com base na decisão do STF

A inclusão de academias e salões de beleza entre atividades essenciais, feita na segunda-feira, 11, pelo presidente Jair Bolsonaro, gerou uma reação negativa entre os governadores, que não devem acatar a mudança nas regras.

“Aqui no Maranhão nós sabemos que a terra é redonda e que precisamos cuidar do coronavírus com seriedade. Vai continuar a valer o decreto estadual”, disse à Reuters o governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB).