Connect with us

Hi, what are you looking for?

Brasil

Grilagem poderá ser punida com prisão e multa de até 50 vezes o salário mínimo

O Projeto de Lei 6286/19 aumenta a pena para o crime de grilagem, que passaria a ser punido com reclusão, de 1 a 5 anos, e multa de 5 a 50 vezes o maior salário mínimo vigente no País. Hoje, a pena é de detenção de 6 meses a 3 anos. O texto tramita na Câmara dos Deputados.

A proposta também prevê a mesma punição para quem fraudar títulos de propriedade e pena dobrada quando o delito for cometido por funcionário público ou em razão do cargo por ele ocupado.

O texto altera a Lei 4.947/66, que trata de normas do direito agrário. O projeto é de autoria do deputado Camilo Capiberibe (PSB-AP) e outros 11 parlamentares do PSB, PT e Rede.

Questão ambiental
“Consideramos brandas as penas para tais crimes, principalmente considerando que os males causados também atingem diretamente a preservação ambiental e populações menos favorecidas”, afirmam os parlamentares na justificativa do projeto. “O que queremos é um efetivo rigor da punição pela prática da grilagem”, observam os autores da proposta.

A proposta também tipifica a grilagem no Código Penal, compatibilizando-o com a Lei 4.947/66, e estabelece o dobro da pena se a grilagem ocorrer em terra pertencente a unidade de conservação, em terra indígena ou remanescente de quilombo. Atualmente, segundo os parlamentares, não existe um tipo penal específico para a grilagem, que é julgada como uma forma de estelionato.

Registro
O texto em análise na Câmara estabelece que o número de inscrição do Certificado de Cadastro de Imóveis Rurais (CCIR) será obrigatório para a constituição do domínio da propriedade, que se completará com o registro de imóveis. O CCIR é o documento expedido que contém informações sobre o titular do imóvel, a área, a localização, a exploração e a classificação fundiária.

A medida, que visa dar maior segurança ao registro da propriedade, foi incluída no projeto por sugestão do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), em estudo realizado sobre a grilagem na Amazônia.

Tramitação
A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; e Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Fonte: Câmara Federal

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

O avanço da covid-19 mantém Rondônia ainda em situação crítica para doença e a população precisa ficar atenta às restrições implementadas pelo Governo de...