Destaques Especiais

Hoje dia 28 de fevereiro vamos falar sobre a Ressaca

O que acontece com o corpo quando bebemos?

O órgão responsável por metabolizar o álcool é o fígado. Contudo, ele só consegue metabolizar em média uma dose de bebida alcoólica por hora-então, para fazer esse trabalho, acaba produzindo e liberando várias substâncias tóxicas ao organismo que contribuem para a ressaca.

“O fígado só consegue metabolizar o equivalente a 10 gramas de álcool por hora, o que é menos que uma taça de vinho ou 300 ml de cerveja, que possuem cerca de 12 gramas de álcool, outro órgão afetado pelo excesso de bebidas alcoólicas é o pâncreas, responsável pela fabricação de insulina e enzimas digestivas, o álcool muda a forma como a glicose é metabolizada, favorecendo a hipoglicemia, ou seja, a queda do nível de glicose no sangue, além disso, o álcool estimula a diurese (aumento da urina). Portanto, quando o indivíduo consome bebidas alcoólicas em grandes quantidades e sem beber água junto, acaba indo muito ao banheiro, favorecendo a desidratação.

Veja os efeitos do álcool em nosso organismo através desse vídeo do canal MD.Saúde:

Afinal que é a ressaca?

Cientificamente, o quadro em que o organismo está intoxicado pelo álcool é chamado de veisalgia, conhecido popularmente como ressaca.

A ressaca é uma reação natural do organismo, ela ocorre quando o corpo precisa de alguma forma eliminar o álcool ingerido, dessa forma os órgãos precisam trabalhar mais do que o normal, quando não existe álcool no organismo.

Esse desconforto acontece depois que os efeitos do álcool passam, ou seja, depois que o organismo já metabolizou tudo – o que geralmente acontece no dia seguinte à bebedeira. Na maioria dos casos, a ressaca dura apenas algumas horas, melhorando sozinha entre quatro e oito horas depois do consumo de bebidas alcoólicas.

O álcool que acaba ocasionando um desequilíbrio no organismo.

  1. Intoxicação pelo acetaldeído:no caso de um consumo exagerado de álcool pode haver presença deste metabólito tóxico na circulação ainda por várias horas após o indivíduo ter parado de beber. Grande parte do mal-estar da ressaca é consequência da exposição prolongada das células ao acetaldeído, o que provoca uma espécie de inflamação generalizada no organismo;
  2. Queda da glicose sanguínea (hipoglicemia):o processo de metabolização do etanol envolve vias enzimáticas do fígado que também participam da produção de glicose, principalmente em períodos de jejum. Como essas enzimas estão ocupadas metabolizando o etanol, temos uma queda no nível de glicose para o cérebro e outras regiões do organismo. Daí surgem os sintomas de fraqueza e mal-estar;
  3. Desidratação:um dos efeitos adversos do etanol no cérebro é inativar a produção de um hormônio chamado ADH (hormônio antidiurético). Quando ele é inibido, toda água que passa pelos rins acaba sendo eliminada na urina. Esse efeito diurético leva à desidratação, que causa os sintomas de boca seca, sede, dor de cabeça, irritação e câimbras.

Ai então que vem Sintomas da ressaca costumam aparecer cerca de quatro a seis horas depois que a pessoa parou de beber. Embora muitos acreditem que a ressaca só acontece quando a pessoa dorme após a bebedeira, isso é um mito, pois ela pode surgir mesmo sem ter dormido.

Os principais indicativos de que uma pessoa está sofrendo com a ressaca são:

Dor de cabeça

Dor no corpo

Dor de estômago

Falta de apetite

Náuseas, vômito e diarreia

Sono e irritação

Dor nos olhos

Sensibilidade à luz e ruídos

Sede e boca seca

Dificuldade de concentração

Além dos sintomas físicos ela pode incluir sintomas psicológicos, como depressão e ansiedade. “Todos esses problemas estão relacionados à desidratação causada pelo excesso de álcool”.

Algumas dicas para curar a ressaca:

  • Tomar 2 xícaras de café preto sem açúcar, porque o café reduz o inchaço dos vasos sanguíneos que causam a dor de cabeça e ajuda o fígado a metabolizar suas toxinas;
  • Tomar 1 remédio para ressaca como o Engov, por exemplo, que ajuda a diminuir os sintomas da ressaca como dor de cabeça e enjoos. Saiba quais os melhores remédios de farmácia para curar os sintomas da ressaca.
  • Beber bastante água, porque o álcool causa desidratação, por isso deve-se beber vários copos de água ao longo do dia;
  • Beber um suco de frutas natural, porque estes sucos possuem um tipo de açúcar chamado frutose que ajuda o corpo a queimar o álcool mais depressa. Um copo grande de suco de laranja ou tomate ajuda também a acelerar a remoção de álcool do organismo;
  • Comer biscoitos de mel, porque o mel também possui uma forma concentrada de frutose, que ajuda a eliminar o álcool do organismo;
  • Tomar uma sopa de legumes, que ajuda a repor o sal e o potássio que o corpo perdeu durante o consumo de álcool, combatendo a ressaca;
  • Intercalar um copo de água entre cada bebida alcoólica e beber água antes de ir dormir, e ao acordar tomar uma xícara de café bem forte, sem açúcar.

Os alimentos que podem melhorar o mal-estar são a maçã, melão, pêssego, uva, tangerina, limão, pepino, tomate, alho, cebola e gengibre.

Outra dica importante é descansar sempre que possível adotando uma alimentação leve, pois assim o corpo consegue se recuperar mais rapidamente eliminando as toxinas produzidas no fígado devido ao consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Saiba o que mais pode fazer nesse vídeo:

Dicas práticas:

Mantenha-se hidratado – consuma bastante água entre cada bebida alcoólica, pois isso evita a desidratação.

Alimentar-se antes e durante – se beber de estômago vazio, a velocidade de absorção fica alta. Procure consumir proteínas e gorduras antes.

Consuma óleo de oliva – estratégia clássica italiana, que evita a absorção do álcool.Uma colher de sopa 30 minutos antes de beber, com isso evita-se a ressaca.

Reponha eletrólitos – o uso de água de coco, antes de dormir, ajuda a ter uma melhor recuperação.

CUIDADO:

Tome cuidado com os riscos do consumo excessivo do álcool não apenas no trânsito SE BEBER NÃO DIRIJA, NUNCA! e sim problemas futuros com o consumo exagerado do álcool pode trazer uma série de prejuízos à saúde, como o ganho de peso e inflamações no estômago e rins.

Diabetes tipo 2

Úlceras e lesões no intestino, rins, bexiga, próstata e pâncreas

Cardiopatia alcoólica (aumento do coração devido ao álcool)

Câncer

Hepatite

Depressão.

E lembre-se: beba com responsabilidade!