Connect with us

Olá, tudo bem? O que você está pesquisando?

Celebrities

HOMENAGEM – Kirk Douglas, o último durão – Por Humberto Oliveira

Ser um dos mitos do cinema não era o bastante para Kirk Douglas. Ele tinha que também vencer a passagem do tempo ou pelo menos tentar. Infelizmente para os fãs, Kirk Douglas terá de se contentar apenas com a imortalidade nas dezenas de filmes estrelados por ele ao longo de uma carreira de mais de 60 anos e 103 anos de vida. Não é pouco.


Afinal, Douglas sempre será Spartacus e tantos outros personagens imortalizados em película. Para mim, no entanto, ele é Jonathan Shields, o ambicioso produtor no filme clássico de Vicente Minelli, a obra prima Assim estava escrito, onde contracena com Lana Turner, Dick Powell, Barry Sullivan, Glória Grahame, Walter Pidgeon e Gilbert Roland. O filme é um drama primoroso, belissimamente fotografado em preto e branco, com atuações inesquecíveis, uma crítica contundente e ao mesmo tempo uma homenagem à época de ouro de Hollywood.

A história é contada através de três pontos de vista, como Rashomon, de Akira Kurosawa, e contada pelos personagens de Lana Turner, uma atriz alcoólatra, Barry Sullivan, um diretor em busca de uma chance e Dick Powell, um escritor transformado em roteirista. Todos têm em comum Jonathan Shields, que no decorrer do longa o espectador vai descobrindo o que houve entre eles. Kirk Douglas interpreta inspirado nos poderosos chefes e donos dos estúdio, mas a principal fonte é ninguém menos que David O. Selznick, o implacável produtor de E o vento levou.


Outro tipo interpretado por Douglas, o jornalista decadente Charles “Chuck” Tatum, do não menos ácido A montanha dos sete abutres, do diretor Billy Wilder. Um acidente numa mina, um homem preso nos escombros, um repórter em busca da retomada da fama e de dias melhores, enxerga no acidente uma forma de voltar ao topo do jornalismo. Ele arma um esquema e o circo da mídia também tira proveito, sem que ninguém realmente se importe com a vida que pode se perder. É uma tragédia anunciada. Wilder faz uma crítica feroz ao jornalismo sensacionalista e é também um profundo estudo sobre o lado sombrio do ser humano.

Kirk Douglas se foi. Ele era o último durão. Trabalhou muito. Atuou em dramas, faroestes, aventuras, filme noir, policiais. Ontem, Douglas se reencontrou com um dos seus parceiros de cena, Burt Lancaster. Juntos fizeram Sem lei, sem alma, Os últimos durões, dentre outros. Descanse em paz, Spartacus.

Faça um comentário

Você pode gostar

Brasil

Em 09 de julho de 2020 o senador Randolfe fez uma live com seus heróis médicos, que salvaram muitas vidas no Amapá usando um...

Brasil

    Na minha contínua necessidade de “ler o mundo”, um dos caminhos é a leitura de jornais. Essa “troca de ideias” com pessoas...

Contraponto

[Tendo em vista (i) o impacto dos acontecimentos recentes na França e (ii) a profundidade da análise feita por Theodore Dalrymple, peço licença a...

Destaques

Em meio à pandemia causada pelo coronavírus, com Rondônia registrando 1.460 casos da doença e 50 mortes, o governo de Marcos Rocha, através da...