Rondônia Saúde

Hospitais do Estado liberam leitos para atender possíveis pacientes com coronavírus

A prevenção foi a primeira medida tomada pelo Governo de Rondônia perante a situação de pandemia que o mundo enfrenta (covid-19). Antes que qualquer caso fosse confirmado no Estado, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) já vinha montando estratégias para lidar com a pandemia, a primeira delas foi a criação de um Plano de Contingência. Entre as primeiras ações adotadas estão a medida de isolamento da população (quarentena), que impediu a rápida propagação do vírus, publicação do Decreto 24.891, 23 de março de 2020  que suspende serviços não-essenciais à população, e a compra de novos equipamentos e produtos para enfrentamento da doença.

“Todas as unidades hospitalares estão intensificando os trabalhos. Montamos estratégias para lidar exclusivamente com os casos confirmados de Covid-19, mas sem deixar de atender os demais pacientes hospitalizados”, destacou a gerente de programas estratégicos da Sesau, Anelise Medeiros.

Entre as medidas mais eficazes está a Desospitalização, procedimento no qual pacientes que apresentam um quadro de melhora são transferidos para outras unidades, instituições ou para receber o tratamento no conforto do lar, próximo à família. Dessa forma, abre-se vagas para novos leitos.

“Os pacientes são avaliados e todos os procedimentos agilizados, de forma que possamos atender pacientes com coronavírus sem contaminar os demais hospitalizados.

O Cemetron atenderá de forma exclusiva os casos confirmados de Covid-19 / Foto: Italo Ricardo

Inicialmente o Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), que terá a unidade Assistência Médica Intensiva (AMI 24H)) como unidade de retaguarda, vai focar exclusivamente no atendimento de pacientes infectados com o vírus”, explicou a gerente.

Atualmente o Cemetron possui sete salas prontas e equipadas para receber os possíveis pacientes de covid-19, e mais 12 estão em fase de finalização. Já a AMI, unidade de retaguarda, oferece mais 12 leitos equipados.

Núcleo Interno de Regulação (NIR)

Segundo Anelise, todas as unidades hospitalares possuem o NIR, que faz o monitoramento dos pacientes desde a chegada, tratamento e até a alta hospitalar.

“Os núcleos internos fazem a comunicação com a regulação e com outros hospitais de referência, gerando rapidez no serviço, rotatividade entre outras ações”, informa a gerente.

Serviço de Assistência Domiciliar (SAMD)

Após avaliação e verificação de melhora no quadro de saúde dos pacientes, muitos são liberados para continuar o tratamento em casa. É esse o papel do Samd, formado por médicos, enfermeiros, psicólogos e demais profissionais de saúde que acompanham de perto esses pacientes.

“Diariamente estamos nas unidades de saúde verificando a situação dos pacientes, e encaminhando para receber assistência domiciliar. Estamos seguindo o Plano de Contingência, que tem nos auxiliado quanto ao enfrentamento da pandemia”, destacou a coordenadora do Samd, Mariana Aguiar.

Novos Equipamentos

Na última semana, o Cemetron recebeu 44 novos equipamentos, entre ventiladores pulmonares mecânicos, cardioversores, monitores e leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), para suporte à vida. Os equipamentos irão contribuir com o Plano de Ação em caso de emergência do coronavírus.

Na capital, as unidades de referência que estão no plano de contenção da Sesau ao coronavírus são: Hospital Cemetron, AMI 24H, e Hospital Infantil Cosme e Damião (HIICD). No interior Hospital Regional de Cacoal (HRC) é a referência.

Hospitais Cosme e Damião e João Paulo II instalam tendas externas em preparação para futuras demandas de Covid-19

O Cemetron atenderá de forma exclusiva os casos confirmados de Covid-19 / Italo Ricardo

Para enfrentar a pandemia causada pelo coronavírus (Covid-19), o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), antecipou os trabalhos, focando sempre na prevenção. As estratégias vão além da quarentena, e abrangem a preparação das equipes e das unidades que vão receber os possíveis pacientes.

Na sexta-feira (27), o Hospital Infantil Cosme e Damião e Pronto Socorro João Paulo II começaram a instalar as tendas e barracas para que, de forma separada, possam fazer a triagem dos pacientes com possíveis casos de covid-19, resultado da parceria com o Exército Brasileiro (17ª Brigada de Infantaria de Selva ) e com o Grupo Saga.

Os postos de triagem ficarão disponíveis pelo período mínimo de 30 dias na área externa dos hospitais, de forma que fiquem isolados dos demais pacientes. Segundo o diretor do Cosme e Damião, Sérgio Pereira, a ação visa diminuir o fluxo de pessoas dentro das unidades.

“Nós faremos a triagem de pacientes infantis e adultos, oferecendo toda a segurança necessária. Nossas equipes já foram treinadas e capacitadas para dar o melhor suporte”, destacou o diretor.

É importante ressaltar que ao sentir possíveis sintomas de Covid-19, o indivíduo deve procurar primeiro o Centro de Estratégias da Vigilância em Saúde (Cievs) e informar a situação para as equipes disponíveis 24 horas por dia, através dos números 0800 642 5398 e 0800 647 1010.

Os postos de triagem vão atender pacientes que já receberam as orientações por telefone e casos graves, evitando aglomerações nos locais.

Equipes Prepadas

A pandemia do coronavírus pegou o mundo todo de surpresa, por ser uma doença nova, sem remédios e vacinação. A prevenção é a medida mais eficaz adotada pela maioria dos países, para que todos possam se proteger.

Em Rondônia, o cenário é positivo, devido aos poucos casos confirmados e a rápida ação do governo. Desde o início deste mês, equipes de saúde estão recebendo capacitações, e os hospitais estão sendo preparados para lidar com a pandemia.

A médica infectologista, Mariana Vasconcelos, explica que é importante os profissionais estarem atentos às medidas de segurança, o uso consciente dos equipamentos que estão racionados no mundo todo, entre outras medidas.

“Temos treinado as equipes de saúde para que possam enfrentar a pandemia com responsabilidade, evitando possíveis contaminações e uso inadequado dos equipamentos”, ressaltou a médica.

Fonte: Secom/Ro