Interior Rondônia

Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia em Cacoal recebe central de hemodiálise para combater a Covid-19

Secom

Uma Central de Hemodiálise foi implantada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro) em Cacoal.  Até essa semana, o Heuro não oferecia tratamento de hemodiálise, e os pacientes que precisavam desse atendimento eram transferidos para o Hospital Regional de Cacoal.

A Hemodiálise é um procedimento artificial de filtração sanguínea, que emprega como método base, a diálise. O Governo de Rondônia instalou a central no hospital, que agora pode atender pacientes com síndrome respiratória aguda grave, disfunção circulatória pulmonar e renal causada pela Covid-19.

Além do atendimento para pacientes com Covid-19, a hemodiálise vai tratar pacientes portadores de insuficiência renal aguda ou crônica, substituindo a função dos rins.

Segundo o diretor do Heuro, Alex Sabai, a implantação da Central de Hemodiálise veio em boa hora. “Estamos felizes com a aquisição dessa máquina em nossa unidade, com isso iremos salvar vidas”.

Com o equipamento, o hospital pode atender até 12 pacientes por dia, dependo do quadro do paciente ou da prescrição médica. Para implantação da terapia de substituição da função renal modalidade de hemodiálise do Heuro,  foi necessária a construção de uma unidade de pré-tratamento de água, que vai atender o interior da UTI e a clínica cirúrgica.

“Além dessa estação de tratamento de água, foi necessária a aquisição de máquinas de hemodiálise e o equipamento de osmose reversa portátil para que fosse possível ofertar a hemodiálise à beira do leito”,explica o coordenador estadual do Serviço de Nefrologia da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Gilmar Meireles Nogueira.

Com essa central, o Heuro vai priorizar os leitos de UTI para aqueles que realmente precisam de atendimento na UTI. No entanto, aqueles pacientes que têm nível de lesão renal com indicação de terapia, mas não tem indicação de internação em leito de UTI, também serão atendidos no hospital.

Secom