Brasil Destaques Justiça

IMPORTUNAÇÃO SEXUAL – Por que parece ser tão comum o assédio de homens entre mulheres?

Qual é a mulher que se sente confortável com aquela cantada mais apimentada? Ou aquele abraço que parece que você está nua mesmo sendo com aquele carinha que está afim?

Você sente vergonha de dizer o que pensa sobre isso?

O boy diz que foi uma brincadeira e você pensa que está agindo feito “louca”, se reclamar?

Então, casos como estes, mais uma vez se tornou polêmica no famoso reality show, Big Brother Brasil.

O Grande Irmão e os crimes sexuais

O famoso reality show conhecido Big Brother Brasil vêm passando por polêmica há anos, entretanto, nesta 20ª edição uma movimentação avassaladora contra comportamentos abusivos de jogadores homens na cada com as mulheres tem tomado conta das redes sociais.

O assunto mais polêmico desde dia 24 de janeiro é o caso do ginasta Petrix Barbosa, que chegou a ser eliminado do programa ontem com 80,27% dos votos.

Petrix ganhou holoforte nas redes após ser acusado de assédio sexual dentro da casa.

Nas redes sociais, fãs do programa apontaram pelo menos três acusações contra o ginasta. Na segunda (3), a Polícia Civil do Rio de Janeiro intimou Petrix a prestar depoimento na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). O Globo confirmou que a intimação foi entregue ao departamento jurídico da emissora

A primeira vez que Petrix foi acusado de assédio foi durante a primeira festa do “BBB 20”, onde consta o vídeo acima. Diante da cena, Bianca foi chamada ao confessionário e, questionada pela produção, negou que tivesse se sentido assediada.

A segunda acusação de assédio também envolveu Bianca Andrade. Dessa vez, foi logo após a eliminação do ex-BBB, Lucas Chumbo. O abraço dos dois foi considerado como um ato aproveitador por internautas.

Na última, o paulista apareceu “sarrando” suas partes íntimas na cabeça de Flayslane, que estava sentada no chão da sala na madrugada de uma festa na casa. Em seguida, Petrix foi chamado ao confessionário e a Globo disse, durante o programa, por meio de Tiago Leifert, que o participante foi advertido.

Foto: Divulgação

É importante pontuar que as atitudes de Petrix podem ser entendidas como importunação sexual. A lei 13.718 sobre o tema, foi sancionada em 2018 visando principalmente casos de assédio contra mulheres no transporte público, mas a legislação abarca qualquer ato configurado como libidinoso.

Porque Bianca acha que não foi assediada?

Foto: Reprodução BBB 20

A banalização e normalização do assédio sexual faz com que muitas mulheres não consigam identificar o ato como assédio sexual. Outras pensam que aquilo “faz parte do jogo”, ou que “ele estava brincando”.

Segundo a promotora de Justiça do Ministério Público de São Paulo Silvia Chakian, a sociedade aprendeu mascarar o assédio sexual e não considerar crime. “Existe uma falta de consciência de que o comportamento mascarado como elogio ou cantada não é um mero constrangimento, é crime”.

Chakian faz parte do GEVID (Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica) e reforça: “As condutas não são só inadequadas – se refletem no código penal”

Outros fatores levam as mulheres acreditar que se posicionar em relação a atos abusivos não levaria a nada além de um desgasta maior, em muitos momentos, o medo de uma rejeição social leva muitas a se calarem.

Repercussão nas redes

Publicado por Otariano em Terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

O nome de Petrix foi um dos mais citados ao longo dos dias até a sua eliminação.

A primeira polêmica que o nome do ginasta foi citado foi com a hashtag #PetrixExpulso que chegou a mais de 41 mil menções nas redes. Essa menção aconteceu quando Petrix foi de encontro a Bianca Andrade e a abraçou, e depois a chacoalhou pelos seios – o que rendeu uma acusação de assédio.

Publicado por Otariano em Terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

Caso Petrix é comum?

A Legislação garante às mulheres proteção para muitas das “brincadeiras” que acontecem, e sim, são consideradas crimes.

Nas festas, muitos homens aproveitam o clima da balada para roubar beijo ou dar aquela passada de mão onde ele deseja, e mulheres, aprendam: Além de não ser legal, agora pode dar prisão!

Então, vamos com algumas dicas para que não se pode fazer e é crime!

Roubar beijo ou selinho

Ver aquela pessoa bonita passando e aproveitar para roubar um beijo pode ser considerado um crime. Isso se tornou uma prática muito comum no Carnaval.

Porém, se a pessoa se sentir ofendida ou constrangida, mesmo no clima da folia, ela pode fazer a denúncia. E a lógica vale para o selinho ou beijo de língua, além de beijos em outras partes do corpo que não sejam a boca.

Encoxada

Assim como no transporte público, aproveitar o aperto da multidão para roçar a genitália em uma outra pessoa pode ser tipificado dentro da legislação. O mesmo vale para o colega que aproveitar a coreografia de uma dança com a parceira e dar aquela encoxada.

Passada de mão

Deixar a mão boba tirar vantagem da situação para dar aquela apalpada no corpo da pessoa ao lado também é crime, principalmente se for nos seios ou nas nádegas. Em outros locais do corpo, dependem muito do contexto e na concretude do ato libidinoso.

Pegada na cintura, puxada de braço e carinho no cabelo

Dependendo da interpretação, a pegada na cintura pode ser um ato leve demais para entrar nesta categoria. No entanto, há quem considere que, se a pessoa ficar constrangida, um apertão na região é, sim, uma importunação sexual. Já a puxada de braço e o carinho no cabelo podem, ainda, entrar como agressão física ou vias de fato, contravenção que inclui agressões que não deixam marcas aparentes.

O que fazer se você for vítima desse tipo de assédio?

Consiga uma testemunha que possa ter visto, ou junte provas como fotos e vídeos, em seguida registre um Boletim de Ocorrência. Caso esteja em uma festa, procure chamar atenção na hora do ocorrido, para que pessoas possam visualizar a situação.

Caso passar por insistência, chame a policia. A pessoa pode ser presa em flagrante.