Connect with us

Hi, what are you looking for?

Economia

Inflação pelo IGP-DI sobe 0,01% em fevereiro

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), divulgado hoje (9) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/ Ibre), subiu 0,01% em fevereiro. O período de coleta de preços foi de 1º a 29 de fevereiro. Na apuração anterior, com preços coletados de 1º a 31 de janeiro, a variação foi de 0,09%.

Com isso, o índice acumula alta de 0,11% no ano de 2020 e de 6,40% em 12 meses. Em fevereiro de 2019, a taxa registrou alta de 1,25%, com 7,73% no acumulado de 12 meses.

Entre os componentes do IGP-DI, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) caiu 0,03% em fevereiro, depois da queda de 0,13% em janeiro. Por estágios de processamento, o grupo bens finais passou de -1,42% em janeiro para 0,54%, tendo como principal responsável pela alta o subgrupo alimentos processados, que passou de -4,09% para 1,18%. Em bens finais (ex), que não inclui alimentos in natura e combustíveis para o consumo, o índice subiu 0,62% em fevereiro, depois de cair 1,30% em janeiro.

No grupo bens intermediários, a taxa passou de 0,73% em janeiro para -0,89% em fevereiro, com grande influência do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, que teve a taxa de 1,70% em janeiro e passou para -8,72%. No grupo Bens Intermediários (ex), que não leva em conta combustíveis e lubrificantes para a produção, a taxa subiu 0,60% em fevereiro, depois da alta de 0,54% no mês anterior.

No estágio das matérias-primas brutas, o índice variou 0,29% em fevereiro, após subir 0,38% em janeiro. O recuo foi influenciado por: minério de ferro (3,40% para -4,03%), milho em grão (8,28% para 3,36%) e suínos (-0,56% para -6,60%). As maiores altas foram em bovinos (-4,85% para 2,24%), aves (-3,14% para 4,41%) e soja em grão (-2,66% para -1,09%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu 0,01% em fevereiro, depois de subir 0,59% em janeiro. Das oito classes de despesa componentes do índice, sete registraram queda: educação, leitura e recreação (2,30% para -0,53%), habitação (0,36% para -0,38%), transportes (0,59% para -0,04%), alimentação (0,64% para 0,35%), comunicação (0,14% para 0,06%), despesas diversas (0,25% para 0,16%) e saúde e cuidados pessoais (0,32% para 0,31%).

O destaque foram os cursos formais, que passaram de 4,67% para 0,20%, a tarifa  de  eletricidade residencial, que variou de 0,97% para -2,53%, a gasolina, que passou de 1,07% para -1,47%, frutas (3,36%  para 1,44%), mensalidade de TV por assinatura (0,80% para 0,16%), alimentos para animais domésticos (0,74% para -2,39%) e o creme  dental, que fechou fevereiro em -0,47%, depois de subir 0,82% em janeiro. No outro sentido, apenas o grupo Vestuário teve aumento, passando de -0,35% para 0,27% na taxa de variação.

Último componente do IGP-DI, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,33% em fevereiro, acumulando com a alta de 0,38% no primeiro mês de 2020. Materiais e equipamentos passaram de 0,77% para 0,42%, serviços foram de 0,73% para 0,63% e o grupo da mão de obra variou 0,06% em janeiro e 0,21% em fevereiro.

 

Por Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...