Connect with us

Hi, what are you looking for?

Economia

Itaú tem lucro recorde no Brasil, mas é afetado por explosão social no Chile e na Colômbia

A violenta explosão social do fim do ano passado na Colômbia e —principalmente— no Chile, começa a afetar algumas das principais empresas da região. O Itaú Unibanco, a maior instituição financeira da América Latina, foi obrigado a aumentar drasticamente o nível de provisões para enfrentar possíveis prejuízos por inadimplência à medida que a tensão social afetava a economia de ambos os países: o Chile, de longe o país mais atingido, cresceu no ano passado a metade do que registrou em 2018, seu menor nível em uma década.

As provisões do Itaú para cobrir empréstimos potencialmente inadimplentes aumentaram 62% nos últimos 12 meses em relação aos três últimos meses do exercício passado, conforme foi divulgado nesta terça-feira, num valor de até 1,4 bilhão de dólares (cerca de 6 bilhões de reais). O aumento veio, na maior parte, do Banco Itaú Corpbanca, subsidiária com a qual opera na Colômbia e no Chile e, portanto, um dos melhores termômetros de como essa convulsão nas ruas está afetando o setor privado. O banco brasileiro afirmou ter reduzido o risco dos clientes do segmento corporativo nos dois países —não necessariamente empresas diretamente atingidas pelos protestos— e reconheceu um aumento nas despesas operacionais no Chile como resultado do fechamento de agências.

O Itaú concentra esforços há anos para crescer fora do Brasil —seu principal mercado, de onde vem 95% da receita líquida, em boa medida por causa da grave crise que atingiu o gigante sul-americano e da qual só agora está saindo, com um crescimento que começa a entrar em alta. Seja como for, em 2019, foi do país sede que vieram seus melhores resultados: o banco celebrou um lucro global de pouco mais de 28 bilhões de reais, um recorde histórico entre as instituições financeiras brasileiras, segundo a consultoria Economática.

Além da situação do Chile, a crise argentina também está afetando o banco, que seguiu uma política de redução de sua exposição a este país à medida que pioravam os indicadores da terceira maior economia latino-americana. E, como a própria direção do banco reconheceu na terça-feira, não espera uma reversão nessa tendência no curto prazo. Além disso, o Itaú aumentou suas provisões para cobrir empréstimos corporativos deteriorados, rubrica que o banco conseguiu compensar com receitas mais altas em outros itens. O Itaú —incluindo todas as suas subsidiárias— tem quase 400 bilhões em ativos e cerca de 100.000 empregados: um gigante que teme sofrer na própria carne as consequências da explosão social na região.

 

BLOOMBERG – Madri | São Paulo

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

Nesta manhã, a diretoria do SINPOL, reuniu-se com o Secretário de Saúde, Dr. Fernando Máximo, com o Secretário de Segurança Adjunto, Dr. Hélio Gomes...