Interior

Jardim Clonal de cacau será instalado na SEMA para atender agricultores de Ariquemes

Os benefícios da tecnologia de clonagem do cacau não são novidade na agricultura. A técnica reduz em mais da metade o tempo para a primeira produção do fruto. Uma árvore de um ano e meio, por exemplo, já apresenta resultados surpreendentes. Além disso, fica mais resistente a doenças como a vassoura de bruxa. Apesar de todas estas vantagens, o cultivo ainda é tímido no Estado. Rondônia sequer possui um levantamento oficial do plantio, mas segundo uma estimativa da Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (CEPLAC), realizada em 2018, no Vale do Jamari há pelo menos 12 mil plantas produzindo. “Se o produtor despertar para as vantagens dessa modalidade, teremos um crescimento econômico considerável na agricultura, uma vez que todos os aspectos locais, como o clima, por exemplo, favorecem este cultivo no Estado.” Disse Eloi Franco de Almeida, técnico em agropecuária da CEPLAC.
E é justamente com o objetivo de expandir o acesso a esta técnica e fomentar a produção local, que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMA) tem ampliado iniciativas que despertem o interesse pela cultura do cacau clonal. Só em 2018 distribuiu mais de 30 mil mudas e capacitou aproximadamente 150 produtores, que através de oficinas, além dos métodos de enxertia, também aprenderam sobre o manejo correto do solo e viabilidade econômica do plantio.
Edmilson Sales, um dos beneficiados com a distribuição de mudas, é proprietário de uma chácara e diz que as medidas facilitam e incentivam a cultura. “Ajuda bastante, porque a gente aprende e já pega as mudas prontas para plantio.” Afirmou.
O secretário da SEMA, Vilmar Ferreira, disse que o trabalho é desenvolvido através de cooperação. “Nós fizemos uma parceria com a CEPLAC e com a Secretaria Municipal de Agricultura (SEMAIC) para disseminar este conhecimento.” Explicou
JARDIM CLONAL
Somado a isso, a SEMA iniciou o projeto de um Jardim Clonal, no viveiro Municipal. O primeiro passo foi plantar uma área pequena, com cerca de quinze pés. A experiência deu certo: todas produziram com menos de dois anos, não apresentaram doenças e deram frutos com qualidade competitiva de mercado. “Nosso objetivo, a partir de agora, é desenvolver o jardim clonal dentro da SEMA, com umas 200 árvores clonadas que servirão de fonte primária para os agricultores que quiserem iniciar o cultivo em suas propriedades.” Concluiu Vilmar Ferreira , secretário da SEMA.

Fonte: Comunicação PMA

Foto: Arquivo PMA

Comentários
Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar