Capital Destaques

Leitos de atendimento à pacientes de coronavírus estão com capacidade máxima e aumenta o número de servidores infectados pela doença

Foto: ítalo Ricardo / Secom

Na manhã desta quinta – feira (21), em uma coletiva de imprensa, o secretário de Estado da Saúde Fernando Máximo, informou os dados atualizados do Covid -19, em Rondônia e relatou a preocupação constante do Governo com o preenchimento de leitos para pacientes de coronavírus.

Segundo o secretário, a taxa de ocupação de leitos atingiu 91,7% das unidades de atendimento do estado e grande parte desta ocupação está na capital de Rondônia. Conforme a Sesau, o Cemetron já atingiu 100% dos leitos de UTI, 67,6% na Unidade de Assistência Médica Intensiva – AMI, 86,7% no Hospital Samar e 90% do Hospital Santa Marcelina (que atende somente leitos de enfermaria).

Outra preocupação, de acordo com  Fernando Máximo, é a deficiência no quadro de profissionais, pois grande parte da equipe está afastada por terem contraído o novo coronavírus.

Segundo o boletim da Sesau, 870 profissionais de saúde estão afastados de suas funções, entre eles casos confirmados, suspeitos e do grupo de risco. Outros 294 servidores foram curados. A maior parte dos profissionais infectados é do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro e Hospital João Paulo II.

Também foram confirmados casos de servidores positivados no Hospital Infantil Cosme e Damião, Lacen, Cemetron, Hospital Regional de Cacoal, Heuro, no hospital da rede pública de Buritis e em Extrema, elevando o número de positivados da área da saúde.

Diante deste cenário, Máximo disse que o Estado possui uma necessidade urgente de profissionais da saúde e que o Estado tem realizado convocação para novos servidores.