Cultura Destaques

Livros que dialogam – Por Humberto Oliveira

Above

Assim como os filmes, os livros, principalmente os biográficos, costumam manter diálogo entre si. Por exemplo, as biografias de Nara Leão escritas por Sérgio Cabral e Cássio Cavalcante, contam a passagem da chamada musa da Bossa Nova pelo show Opinião, contracenando com os compositores Zé Kéti e João do Vale, história contada em detalhes no livro Opinião, da coleção Perfis do Rio, lançado pela Relume Dumará. Nara Leão namorou Ronaldo Bôscoli, que namorou Maysa e foi casado com Elis Regina.

As respectivas trajetórias destes artistas estão nos livros Nara Leão, uma vida e Nara Leão, a musa dos trópicos. Há ainda outra obra abordando os discos gravados por Nara. O escritor Denílson Monteiro escreveu A Bossa do Lobo, biografia de Bôscoli, que anos antes teve suas memórias escritas por Luis Carlos Maciel e Ângela Chaves no livro Eles e eu. Já a vida da cantora Maysa foi dissecada por Lira Neto, no ótimo Só numa multidão de amores. Quanto a Elis, existem duas ou mais biografias no mercado. Duas são dignas de nota. Furacão Elis e Nada será como antes, são as melhores. Ha pouco, João Marcelo Bôscoli, filho mais velho da cantora lançou o livro Elis e eu, um relato íntimo do convívio dele com a mãe famosa.

 

Nas obras citadas, em algum parágrafo ou capítulo, estes personagens são mencionados. Outros livros que podemos relacionar são as biografias dos compositores Zé Kéti e João do Vale, além de serem o foco do livro sobre o espetáculo Opinião. Citamos ainda a biografia de João do Vale, cujo autor também conta em detalhes a participação do compositor no famoso espetáculo.

Nos anos 1990, o jornalista e biógrafo Ruy Castro lançou, pela Companhia das Letras, o livro definitivo sobre a Bossa Nova. O excelente Chega de saudade, a história e as histórias da Bossa Nova, obra que reúne quase todos os artistas acima citados.

 

Juntando todos, cada autor, costurando histórias e carreiras, construíram um painel amplo da música brasileira de determinado período. Alguns têm capítulos inteiros. Outros aparecem em um ou dois parágrafos. Muitos ganharam livros inteiros, até mais de um. Outros tantos nenhuma coisa e nem outra. Alguns estão em compasso de espera para ter sua obra estudada, sua vida contada, sua carreira dissecada e assim por diante.

Como estes citados acima, existem outras obras biográficas que discorrem sobre grandes nomes da música brasileira. Mas aí já é outra história.

Below

Mais sobre o autor

Almanaque | Humberto Oliveira

Almanaque | Humberto Oliveira

Humberto Oliveira nasceu em Fortaleza/Ceará, há 55 anos, mas há mais de 20 é rondoniense de coração. Jornalista formado pela Faro, mas um escrevinhador desde os 13, colecionador de filmes, livros e cds, cinéfilo desde os 5 anos de idade quando foi ao cinema pela primeira vez (o filme Branca de Neve e os 7 anões), no grandioso Cine São Luiz. Fã de Ruy Castro, Nelson Rodrigues, Woody Allen, Martin Scorsese,Nelson Pereira dos Santos, cinema noir e música brasileira. Apaixonado por cinema já ministrou cursos de roteiro e História do cinema. Participou de cinco edições do Fest Cine Amazônia, como assessor de imprensa, duas vezes na seleção de filmes, presidente de júri e jurado. Admirador e conhecedor do dramaturgo Nelson Rodrigues ministrou palestras sobre a vida e a obra deste genial autor. É casado, tem três filhos e escreve poemas em homenagem aos amigos e pessoas que admira. Seu filme predileto é O Poderoso Chefão (a trilogia). Ama filmes clássicos, mas não deixa de assistir a maioria das produções em cartaz. Também aprecia o teatro e um bom papo.