Capital Destaques

MAPEIA RONDÔNIA – Inicia nesta quarta – feira os testes rápidos simultâneos em todo estado

O Governo do Estado de Rondônia está realizando juntamente com as prefeituras a ação Mapeia Rondônia que será a realizado 100 mil testes rápidos simultâneos em todos os municípios de Rondônia.

Nesta quarta – feira (03) será realizada a primeira etapa do projeto e se estenderá até do dia 09 de junho, em todo o território rondoniense. Após esta fase, será realizado uma avaliação dos casos e uma segunda etapa será iniciada.

Em Porto Velho, neste primeiro estágio serão realizados oito mil testagens, conforme as informações da secretária municipal de saúde, Eliana Pazini. De acordo com a secretária, os oito mil testes rápidos serão realizados em todas as unidades de saúde do município, entretanto seguirão alguns critérios.

Os exames poderão ser realizados nas Unidades de Pronto – Atendimento (UPA’s), Ana Adelaide, Centro de Especialidades Médicas (CEM) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), somente com pessoas sintomáticas com mais de sete dias de sintomas.

O atendimento nas UPA’s será para os pacientes que já estão nas unidades, atendendo especificações de atendimento pela própria UPA, ou seja, pacientes internados que já estão em observação, dentro dos critérios e com sintomas.

Pacientes sintomáticos com mais de sete dias de sintomas devem se dirigir as unidades de saúde mais próxima de sua casa, que será feito os exames pelas equipes que atendem no local.  Eliana Pazini reforçou que os exames serão realizados em todas as unidades para evitar aglomeração.

ATENDIMENTO PELO MUNICÍPIO

A Secretária reforçou que todas as UPA’s estão lotadas, que os pacientes que são atendidos nestas unidades com a pulseira verde e azul estão sendo direcionados para as unidades básicas de saúde e solicita a compreensão da população, pois as UPA’s estão com uma grande demanda de atendimento grave (pulseira vermelha) de pacientes com Covid -19. Todas as UPA’s também estão recebendo ampliações de leitos clínicos e será aberto uma nova unidade no distrito de Jaci – Paraná.

A secretária também informou que o atendimento do Call Center está com uma demanda aproximada de 1.000 ligações e mais de 600 encaminhamentos para as unidades de saúde por dia.  O CEM, também chegou na capacidade máxima, e a Prefeitura pretende abrir esta semana uma unidade de saúde para atender pacientes que chegam com coronavírus.

FALTAS DE ATENDIMENTO NAS UPAS

Eliana Pazini falou sobre as denúncias ocorridas neste fim de semana sobre a falta de atendimento médico nas UPA’s. A secretária afirma que o município está com uma quantidade considerável de médicos afastados por conta da Covid-19, e antes mesmo da pandemia, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) estava com escala de três a quatro médicos em todas as unidade de atendimento, dificultando o suporte médico nas unidades.

Eliana ressalva que este fim de semana, além da falta cotidiana de médicos, na Policlínica Ana Adelaide, os médicos plantonistas simplesmente faltaram e apresentaram atestados médicos de última hora.

A Semusa atualmente possui mais de 400 servidores da área da saúde afastados, sendo que este número altera diariamente, enquanto uns estão retornando, outros estão saindo, disse a secretária Pazini.

PREFEITURA REALIZARÁ NOVO CHAMAMENTO

A Prefeitura de Porto Velho, pretende fazer o chamamento de todos os servidores da saúde que foram aprovados emergencialmente. A secretária da Semusa disse que o executivo municipal tem convocado a cada 10 a 15 servidores por vez, e somente um ou dois atendem o chamamento.

O município pretende regularizar a demanda de profissionais da saúde para poder atender todas as unidades de saúde, inclusive da nova Unidade de Pronto – Atendimento do distrito de Jaci – Paraná.

NOVAS UNIDADES DE ATENDIMENTO

Eliana Pazini, informou que a prefeitura abriu um processo de contratação para uma unidade de saúde que possa atender leitos clínicos para os munícipes, porém ainda não teve êxito. De acordo com a secretária, Porto Velho é uma cidade com uma demanda de atendimento à saúde muito grande, entretanto, o município sofre com limitação de espaço e de profissionais, não somente na rede pública, como também nas unidades particulares.