politica

Marcos Rogério e Laerte Gomes garantem vitória para Rondônia: ANEEL rechaça aumento de energia

Segundo senador rondoniense, MP 998 obriga sistema nacional a reposicionar o Estado no mapa geolétrico, o que deve reduzir em 12% o valor das contas

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Laerte Gomes (PSDB), participaram nesta terça-feira de sessão remota da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) para analisar o pedido da distribuidora Energisa para aumento dos valores da tarifa no Estado. No mês de aniversário do contrato de concessão, ela poderá pedir reajuste através de consulta pública. A reunião foi realizado através de plataforma virtual e contou com a participação de vários representantes do setor, autoridades e membros da própria Energisa.

Após as considerações, os membros da ANEEL negaram o aumento. Um dos principais argumentos é a aprovação da Medida Provisória 998. O texto legal reposiciona Rondônia no mapa geoelétrico no Brasil retirando o Estado do setor de desenvolvimento do Sudeste. Hoje Rondônia e Acre, mesmo fazendo parte do Norte, tem grandes prejuízos com a atual conjuntura do mercado regulatório. “Minha expectativa é que a redução venha a ser na ordem de 12% com a nova inserção de Rondônia no mapa geolétrico”, acredita o senador Marcos Rogério.

Sobre o aumento da energia, negado hoje, o deputado Laerte Gomes explica que como representante da Assembleia Legislativa demonstrou a crise social criada com a pandemia do novo Coronavírus e observou que todos os esforços estão centrados no atendimento das vítimas da doença. A renda do trabalhador, observou Laerte Gomes, caiu sensivelmente e é necessário tomar medidas urgentes para ajudar o trabalhador. “Não existia menor possibilidade do aumento da energia”, defendeu.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) e o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Laerte Gomes (PSDB), participaram nesta terça-feira de sessão remota da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) para analisar o pedido da distribuidora Energisa para aumento dos valores da tarifa no Estado. No mês de aniversário do contrato de concessão, ela poderá pedir reajuste através de consulta pública. A reunião foi realizado através de plataforma virtual e contou com a participação de vários representantes do setor, autoridades e membros da própria Energisa.

Após as considerações, os membros da ANEEL negaram o aumento. Um dos principais argumentos é a aprovação da Medida Provisória 998. O texto legal reposiciona Rondônia no mapa geoelétrico no Brasil retirando o Estado do setor de desenvolvimento do Sudeste. Hoje Rondônia e Acre, mesmo fazendo parte do Norte, tem grandes prejuízos com a atual conjuntura do mercado regulatório. “Minha expectativa é que a redução venha a ser na ordem de 12% com a nova inserção de Rondônia no mapa geolétrico”, acredita o senador Marcos Rogério.

Sobre o aumento da energia, negado hoje, o deputado Laerte Gomes explica que como representante da Assembleia Legislativa demonstrou a crise social criada com a pandemia do novo Coronavírus e observou que todos os esforços estão centrados no atendimento das vítimas da doença. A renda do trabalhador, observou Laerte Gomes, caiu sensivelmente e é necessário tomar medidas urgentes para ajudar o trabalhador. “Não existia menor possibilidade do aumento da energia”, defendeu.

ALE/RO