Economia

Meu Negócio, Minha Vida – Por Bianca Lopes

Série: maiores problemas financeiros das empresas

Falta de planejamento financeiro é um dos principais problemas do empreendedor brasileiro. Não é novidade. Um olhar micro e veremos a falta de planejamento das finanças pessoais da grande maioria dos gestores das empresas. Um é reflexo do outro, afinal, o gestor da pessoa jurídica é o mesmo gestor da pessoa física.

Assim como na nossa vida doméstica, quer queira ou não, o dinheiro move praticamente todas as atividades de um negócio. Ter disponibilidade de capital possibilita tomar decisões que beneficiem todo o ambiente de negócios, obtendo condições mais favoráveis à empresa.

Estabelecer um modelo de negócios é determinante para fazer a empresa crescer. Ele traça caminhos a fim de trilhar e conquistar pessoas que comporão a equipe, clientes, potenciais investidores e recursos financeiros.  É uma importante ferramenta de gestão que irá orientar um planejamento financeiro que atenda às demandas da empresa em suas principais atividades, seja ela produtiva, comercial ou prestação de serviços.

Quando não há esse planejamento financeiro, já podemos prever o resultado que afeta uma parcela significativa das empresas, como falta de capital de giro, ausência de um controle de fluxo de caixa, dívidas com bancos, salários e impostos atrasados e inúmeros outros problemas que acabam comprometendo o funcionamento da empresa. Resultado? Saldo negativo constante!

Por outro lado, apesar de muitos até começarem a controlar a parte financeira, acabam perdendo a regularidade por terem tempo escasso ou por estarem preocupados com as atividades operacionais da empresa. Outro fator que contribui para a falta de planejamento financeiro da empresa é agir mais com a emoção do que com a razão, sempre impulsionado pelo sentimento de “fazer dar certo”, sem considerar as etapas e os recursos necessários para as implementações necessárias pelo caminho, tais como estudar profundamente o ramo de atividade e o mercado que se pretende atuar, o capital necessário para investir inicialmente no negócio e, principalmente, planejar uma reserva de fluxo de caixa que vai manter a empresa em suas atividades enquanto ela não conseguir lucrar o suficiente para suprir todas as despesas.

Estudos já demonstram que muitas empresas não conseguem completar três anos de vida, apesar do grande perfil do empreendedor e seu grande conhecimento do negócio, do processo de produção e de suas principais características. Contudo, o que falta para a maioria deles é o conhecimento em gestão financeira, um dos mais importantes para evitar problemas financeiros e garantir a sobrevivência do negócio.

Ter a ciência de que a administração do faturamento, dos pagamentos, dos custos e das despesas precisam ser analisados da mesma maneira que os demais setores possibilitará medir e avaliar ganhos e lucros, como também proporcionar conhecimento macro para tomada de decisões que conduzirão a empresa a patamares mais elevados, prevendo riscos e projetando investimentos com vistas à ampliação do negócio. Mas e quais são os passos mais importantes para se estabelecer um planejamento financeiro na empresa?

O primeiro é separar um tempo diário para cuidar do fluxo de caixa da empresa, estabelecer uma disciplina que fará o gestor entrar no ritmo para planejar as finanças, deixando disponíveis os números mais importantes sempre à mão.  

O segundo é acabar com um erro clássico de muitos gestores: misturar contas pessoais com as contas da empresa. A Consequência de misturar as contas da pessoa física com as da pessoa jurídica é a oneração do fluxo de caixa e compromete a organização. O adequado é estabelecer um pró-labore justo e realista para cada momento do negócio, respeitando os ganhos.  

O terceiro é investir em práticas e sistemas de planejamento financeiro, aprimorando o conhecimento e implantando a cultura da empresa como atividade obrigatória a elaboração de orçamento e planejamento das finanças. Afinal, se a empresa age sempre da mesma maneira, seus resultados serão sempre os mesmos, concorda?

Por isso vire o jogo, estabeleça um processo de mudança e recoloque seu negócio no caminho do crescimento sustentável ao longo dos anos, tornando a organização cada vez mais forte, financeiramente sólida e competitiva, pronta para enfrentar cenários futuros de instabilidade.

Bianca Lopes
Economista
Redes Sociais: @biancalopeseconomista
Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios