Rondônia
Tendência

Militar assume Superintendência do DNIT Rondônia nesta terça

A nomeação do coronel Marcus Vinicius Melo Neto, reformado do corpo de Engenharia do Exército para o cargo de superintendente substituto do DNIT está anunciada para esta terça-feira. Ele deixa a superintendência do órgão em Manaus, cargo para o qual foi indicado em abril deste ano, com a responsabilidade especial de viabilizar o asfaltamento da BR-319 – Porto Velho – Manaus – no chamado trecho do meio.

A solução encontrada pelo DNIT Brasília é temporária. Espera-se             que os técnicos afastados possam retornar ao trabalho em breve. Isso não implica, obviamente, em qualquer reação contra o trabalho dos órgãos de fiscalização ou ao judiciário. Trata-se exclusivamente de colocar ordem na casa para que obras de extrema importância, como a ponte sobre o rio Madeira no distrito de Abunã, ou a licitação das obras das pontes de Ribeirão e Araras, não sejam prejudicadas.

O novo titular será acompanhado por um técnico de Brasília, para vistoriar as obras que foram objeto da denúncia da engenheira Fabiana Griz de Góes Cavalcanti. Ela foi afastada da supervisão de contrato da Geosistemas Engenharia e Planejamento, daí a denúncia. Ampresa está inclusive sendo investigada em processo de apuração de responsabilidade exatamente em função do mau desempenho da engenheira, reiteradamente notificado pelos dirigentes afastados.

Não custa lembrar que os três dirigentes anteriores foram igualmente afastados após denúncia de um engenheiro, inconformado com o próprio afastamento da fiscalização de um trecho das obras da BR-429. A denúncia foi incorporada à investigação já então em andamento no Acre, que resultou na prisão do então prefeito de Rio Branco, Marcos Alexandre, ex-diretor do Deracre, em plena campanha eleitoral para o governo do estado.

A operação envolveu também o governador acreano da época, o petista Tião Viana, e seu irmão, o senador Jorge Viana. Graças ao prestígio junto a Lula e a seu partido, o PT, todas as obras do DNIT no Acre eram delegadas ao Deracre e discutidas diretamente em Brasília, sem qualquer envolvimento da Superintendência regional. O mesmo que aconteceu com as obras dos viadutos em Porto Velho, quando Roberto Sobrinho era o prefeito. E os resultados foram os mesmos.

Marcos Alexandre, servidor de carreira do Deracre está envolvido até o pescoço nos desvios praticados, segundo os órgãos de fiscalização, pelos irmãos Viana, pelo que chegou a ser preso, juntamente com a esposa. O processo, que corria em Brasília enquanto os irmãos tinham foro privilegiado, acabou devolvido à primeira instância no Acre depois que ambos perderam os mandatos. Mas o ex-diretor do Deracre já conseguiu autorização judicial para  retornar ao trabalho e foi até cedido, pelo governador Gladson Cameli, para trabalhar no próprio Tribunal de Justiça do Acre

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios