Mundo

Mundo ultrapassa 900 mil mortes por Covid-19, informa OMS

O mundo passou a totalizar nesta sexta-feira quase 28 milhões de casos de Covid-19 e mais de 900 mil mortes diretamente ligadas à doença, seis meses após o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, declarar a pandemia.

Os casos no mundo chegam a 27,97 milhões, um aumento de mais de 250 mil em relação ao dia anterior, e 905.426 mortes, segundo as estatísticas coletadas pela entidade.

A América concentra mais da metade dos casos (14,4 milhões) e o Sul da Ásia é a segunda região mais afetada em numero de contágios (5,1 milhões), seguida por Europa (4,6 milhões) e Oriente Médio (2 milhões).

Nesta sexta-feira, a América superou a marca de 500 mil mortes. No segundo lugar aparece o Sul da Ásia (89 mil), enquanto o Oriente Médio (54 mil) ocupa a terceira colocação.

Os gráficos de casos diários mostram que a Europa está em uma segunda onda da pandemia, com números similares aos de março e abril, mas com dez vezes menos mortes.

O Oriente Médio também pode estar chegando a um novo pico, enquanto o Sul da Ásia têm apresentado um rápido aumento, como mostram as curvas continentais. Por outro lado, África, Ásia-Pacífico e, em menor medida, América registram uma curva descendente no número de casos diários.

Por países, os Estados Unidos acumulam 6,3 milhões de casos, seguidos pela Índia, com 4,5 milhões e as taxas de contágios diários mais altas já registradas por qualquer outro: quase 100 mil infecções por dia.

O Brasil é o terceiro país com mais casos de Covid-19 já confirmados, 4,1 milhões, seguido por Rússia (1 milhão), Peru (700 mil), Colômbia (686 mil), México (647 mil), África do Sul (642 mil), Espanha (543 mil), Argentina (512 mil) e Chile (428 mil).

As posições variam no ranking de número de mortes. Os Estados Unidos somam 189 mil óbitos, seguido por Brasil (128 mil), Índia (76 mil) e México (69 mil). Reino Unido, Itália, França, Peru, Espanha e Irã completam a lista dos dez primeiros.

Por EFE abc/vnm