Carreira Destaques

NÍVEL MÉDIO – Concurso da FUNAI com 1.560 vagas em análise e salário de até R$ 5.349,07

Foi solicitado ao Ministério da Economia o edital de um novo Fundação Nacional do Índio (concurso Funai) para a carreira de agente indigenismo. O pedido é de 1.560 vagas com salário de R$ 5.349,07, tendo como requisito mínimo o ensino médio completo.

A solicitação foi enviada ao ministério pela Funai ao final de maio de maio de 2019, com a  expectativa que o certame aconteça em 2020. Além das vagas para agente indigenismo, o pedido também traz 348 oportunidades para os seguintes cargos:

  • Indigenista especializado (156 vagas)
  • Assistente social (19 vagas)
  • Economista (18 vagas)
  • Administrador (15 vagas)
  • Antropólogo (14 vagas)
  • Engenheiro (13 vagas)
  • Sociólogo (11 vagas)
  • Contador (8 vagas)
  • Psicólogo (4 vagas)

Segundo levantamento realizado pelo Ministério Público Federal do Tocantins, cerca de 65% dos cargos da Funai estão vagos, o que representa 3.600 vagas a serem preenchidas, das 5.614 existentes em sua estrutura.

Ainda, de acordo com pesquisa do Tribunal de Contas da União (TCU) de 2015, aproximadamente 64% dos servidores da Funai têm idade superior a 50 anos, e  mais de 20% recebia abono de permanência, com previsão de se aposentarem em pouco tempo.

Tendo em vista o cenário de falta de servidores, o que dificulta as atividades do órgão, uma ação civil pública foi ajuizada na Justiça Federal pelo Ministério Público Federal (MPF) para que o concurso aconteça.

Como foi o último concurso e as matérias cobradas

Para quem deseja se preparar  para o próximo concurso da Funai, o último certame aconteceu em agosto de 2016 com a oferta de 202 vagas para o cargo de agente de indigenismo. Ainda foram ofertadas seis chances para contador, sete para engenheiro e cinco para engenheiro agrônomo.

A remuneração inicial alcançou o valor de R$ 6.330,31, a quantia já incluiu gratificações e auxílio-refeição de R$ 373. Vale destacar que também foram reservadas vagas para negros e portadores de deficiência.

As vagas foram distribuídas entre as seguintes cidades:

  • Rio Branco/AC
  • Maceió/AL
  • Manaus/AM
  • Tabatinga/AM
  • São Gabriel da Cachoeira/AM
  • Macapá/AM
  • Salvador/BA
  • Fortaleza/CE
  • Brasília/DF
  • Vitória/ES,
  • Goiânia/GO
  • São Luís/MA
  • Imperatriz/MA
  • Belo Horizonte/MG
  • Campo Grande/MS
  • Dourados/MS
  • Cuiabá/MT
  • Sinop/MT
  • Belém/PA
  • Altamira/PA
  • João Pessoa/PB
  • Recife/PE
  • Teresina/PI
  • Curitiba/PR
  • Rio de Janeiro/RJ
  • Natal/RN
  • Porto Velho/RO
  • Ji-Paraná/RO
  • Boa Vista/RR
  • Porto Alegre/RS
  • Florianópolis/SC
  • Aracaju/SE
  • São Paulo/SP
  • Palmas/TO

Os candidatos tiveram que passar no processo de seleção composto por etapa de prova objetiva, contendo questões de Conhecimentos Gerais e Específicos. Também houve prova discursiva.

Conhecimentos Gerais

  • Língua Portuguesa
  • Raciocínio Lógico e Quantitativo
  • Direito Constitucional e Administrativo
  • Legislação Indigenista
  • Informática Básica
  • Administração Pública

Os Conhecimentos  Específicos variaram de acordo com o cargo escolhido pelos concorrentes.

O Rondoniense/N.C.