JustiçaJustiçapolitica

Nova operação da Lava Jato prende filho de ex-ministro Lobão por suspeita de propina

Marcio Lobão e suspeito de recebimento de cerca de 50 milhões de reais em propina em obras da Transpetro, subsidiária de Petrobras, e da hidrelétrica de Belo Monte

A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira o filho do ex-ministro de Minas e Energia e ex-senador Edison Lobão, Márcio Lobão, por suspeita de recebimento de cerca de 50 milhões de reais em propina em obras da Transpetro, subsidiária de Petrobras, e da hidrelétrica de Belo Monte, em mais uma fase da operação Lava Jato, informou o Ministério Público Federal (MPF).

A propina teria sido paga pela Odebrecht e pelo Grupo Estre entre 2008 e 2014, com pagamentos em espécie realizados em escritório de advocacia no Rio de Janeiro ligado à família Lobão, de acordo com comunicado do MPF, que disse ter obtido depoimentos de colaboradores, registros de ligações e reuniões entre os investigados e registros em sistemas de controle de propinas.

Marcio Lobão filho do ex-senador Edison Lobão e preso nesta manhã (10/09) em nova operação da lava-jato.

“As medidas cautelares cumpridas hoje também objetivam aprofundar possíveis operações de lavagem de dinheiro capitaneadas por Márcio Lobão”, disse o MPF em comunicado, acrescentando que no período foi possível verificar um incremento de patrimônio de Márcio Lobão superior a 30 milhões de reais.

“O esquema investigado inclui aquisição e posterior venda de obras de arte com valores sobrevalorizados, simulação de operações de venda de imóvel, simulação de empréstimo com familiar, interposição de terceiros em operações de compra e venda de obras de arte, e movimentação de valores milionários em contas abertas em nome de empresas offshore no exterior”.

Os procuradores acrescentaram que a operação também cumprirá mandados de busca e apreensão em endereços de galeria de arte e de agentes financeiros que atuavam perante bancos, a exemplo do Julius Bär, gerindo contas de Márcio Lobão no exterior.

Além da investigação que envolve a participação da empreiteira Odebrecht em fraudes na construção de Belo Monte, a ação deflagrada nesta terça-feira também investiga benefícios em mais de 40 contratos, com valor total de cerca de 1 bilhão de reais, celebrados pelas empresas Estre Ambiental, Pollydutos Montagem e Construção, Consórcio NM Dutos e Estaleiro Rio Tietê, afirmou o MPF.

A Polícia Federal acrescentou, em comunicado separado, que serão cumpridos no total 11 mandados de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília no âmbito da operação Galeria, a 65ª fase da Lava Jato.

Procurado pela Reuters, o advogado do ex-ministro Lobão, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, não tinha um posicionamento de imediato sobre a ação que envolve seu cliente, e disse apenas que não tem conhecimento de busca e apreensão contra ele. Não foi possível fazer contato de imediato com o advogado de Márcio Lobão.

Edison Lobão foi ministro de Minas e Energia durante os governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Ele também foi senador de fevereiro de 1995 até fevereiro deste ano.

Fonte
Reuters.com
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios