Rondônia

Novembro Azul: Detran desenvolve programação para conscientizar os homens a cuidar da saúde

Above

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) Rondônia por meio da Coordenadoria de Qualidade (Cquali) que trabalha políticas voltadas ao servidor do órgão está desenvolvendo uma vasta programação para conscientizar os servidores, em especial os homens, sobre a necessidade de cuidar da saúde, principalmente por causa do movimento “Novembro Azul”, que reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Na manhã desta terça-feira (19), o assistente social da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Rondônia (Fhemeron), Dimarães da Silva, ministrou palestra no auditório da sede administrativa do Detran, em Porto Velho, onde falou sobre a importância de ser doador de sangue e destacou que uma doação pode salvar a vida de até quatro pessoas.

A palestra teve como objetivo esclarecer e desmistificar duvidas que existam em torno da doação de sangue e incentivar os servidores do Detran a se tornarem doadores fidelizados da Fhemeron.

Nesta quarta-feira (20), os servidores do Detran começam a fazer doação de sangue. Os voluntariados devem procurar a equipe da Cquali para serem serem orientados de como doar.

Segundo o Ministério da Saúde, somente 1,6% da população brasileira doa sangue de maneira fidelizada, embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) estipula que o ideal seria que 3% da população fosse doadora.

Requisitos para doar sangue

Para doar sangue é necessário estar em boas condições de saúde, alimentado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas, estar alimentado e levar documento com foto.

Homens

Os homens podem doar até quatro vezes por ano, com intervalo mínimo de dois meses.

Mulheres

As mulheres podem doar três vezes, com intervalo necessário de no mínimo de três meses.

Qualquer pessoa com idade entre 16 e 69 anos podem doar, basta atender os seguintes critérios:

– Pesar acima de 50 quilos

– Não estar com anemia, malária, doença de chagas, HIV, graves problemas no pulmão, coração, rins, fígado ou de coagulação no sangue, com doenças associadas aos vírus HTLV I e II, Hepatites B ou C;

– Não ter pressão alta ou baixa no momento da doação;

– Não ter diabetes;

– Não fazer uso de drogas injetáveis;

– Não estar gestantes ou lactantes

– Entre outros impedimentos que são analisados conforme protocolo

 


Fonte
Texto: Eleni Caetano
Fotos: Hagnes Chediak
Secom – Governo de Rondônia

Below