Mundo

O crescente temor de Brexit pela falta de acordo após nova derrota no Parlamento Britânico

Parlamentares britânicos rejeitaram pela terceira vez o acordo do Brexit proposto pela primeira-ministra Theresa May, tornando provável uma separação sem acordo, deixando a saída do Reino Unido no meio de uma turbulência no exato dia em que originalmente o país deveria se separar da União Europeia.Manifestantes pró-Brexit participam de marcha em Londres.

A decisão de rejeitar uma versão simplificada do acordo de May deixou totalmente incerto como, quando e até mesmo se o Reino Unido irá se retirar da UE, mergulhando a crise de três anos em um nível mais profundo de incerteza.

“Temo que estejamos chegando aos limites desse processo nesta Casa”, disse May ao Parlamento após a derrota. “As implicações da decisão da Casa são graves.”

Minutos depois da votação, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou que os líderes da UE vão se reunir em 10 de abril para discutir a saída do Reino Unido.

O Executivo da UE, a Comissão Europeia, disse que “um cenário sem acordo em 12 de abril é agora um cenário provável.”

Vários líderes europeus disseram que agora há uma chance muito real de o Reino Unido deixar o bloco sem um acordo, um cenário que empresários temem poder causar caos na quinta maior economia do mundo.

O assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, disse à Reuters que o presidente norte-americano, Donald Trump, é solidário a May e reiterou que os Estados Unidos têm interesse em assinar um acordo comercial com o Reino Unido depois que o país deixar a União Europeia.

May havia afirmado ao Parlamento que a votação era a última oportunidade de garantir que o Brexit acontecesse de forma ordeira.

Entretanto, em uma sessão parlamentar especial, os parlamentares rejeitaram por 344 contra 286 votos o Acordo de Retirada, firmado após dois anos de tortuosas negociações com o bloco.

“O padrão legal, agora, é que o Reino Unido deixe a União Europeia no dia 12 de abril”, disse May.

A premiê alertou que qualquer adiamento adicional do Brexit provavelmente será uma extensão longa além do prazo atual, e significará que o Reino Unido precisará realizar eleições para o Parlamento Europeu.

“Esse governo continuará pressionando por um Brexit ordenado, que o resultado do referendo demanda”, disse May. Essa foi a terceira derrota da premiê.

O presidente da França, Emmanuel Macron, falando no momento em que o Parlamento votava, disse que a UE precisa acelerar os preparativos para um Brexit sem acordo, enquanto o chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, disse que, a não ser que o Reino Unido elabore um plano, haverá um Brexit “duro”.

Sem maioria no Parlamento para nenhuma das opções do Brexit até agora, não está claro o que May fará agora. As opções incluem pedir à UE um adiamento maior, eleições forçadas pelo Parlamento ou uma retirada sem acordo.

A derrota significa que o Reino Unido agora tem menos de duas semanas para convencer os 27 líderes da UE de que há um caminho alternativo para resolver o impasse ou se ver fora do bloco a partir dessa data sem um acordo sobre os laços com seus maiores aliados comerciais.

Qualquer futura extensão não só demandaria a participação do Reino Unido nas eleições do Parlamento Europeu em maio, mas também traria meses de incerteza.

Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios