Esporte

Oito pilotos já foram recordistas de vitórias na história da Fórmula 1

A histórica 92ª vitória de Lewis Hamilton, alcançada no GP de Portugal, deixou o inglês como recordista de triunfos na história da Fórmula 1. O – por enquanto – hexacampeão mundial superou as 91 vitórias de Michael Schumacher, que era o maior vencedor da categoria desde 2001, quando ultrapassou Alain Prost.

O F1 Memória fez um levantamento sobre a evolução do recorde de vitórias na categoria e – até hoje – foram oito os recordistas: Giuseppe Farina, Juan Manuel Fangio, Alberto Ascari, Jim Clark, Jackie Stewart, Alain Prost, Michael Schumacher e Lewis Hamilton.

Vamos conferir a evolução dos recordistas de vitórias na F1?

Giuseppe Farina – 1950

 

Última vitória de Giuseppe Farina foi conquistada em 1953, na Alemanha — Foto: Getty Images
Última vitória de Giuseppe Farina foi conquistada em 1953, na Alemanha — Foto: Getty Images

Evidentemente, por ter sido o primeiro vencedor e campeão da história da F1, Giuseppe Farina deteve o recorde de vitórias, com três, no fim de 1950. No ano seguinte, foi superado por Juan Manuel Fangio, chegou a empatar com o argentino em quatro vitórias, mas depois só venceu mais uma vez na F1, em 1955.

Alberto Ascari – 1952/1955

 

Alberto Ascari em ação com a Ferrari na temporada de 1952 — Foto: Getty Images
Alberto Ascari em ação com a Ferrari na temporada de 1952 — Foto: Getty Images

Alberto Ascari ganhou duas vezes na temporada de 1951, mas foi em 1952 e 1953 que o italiano dominou a Fórmula 1, com a Ferrari. Em 1952, passou o então recordista Juan Manuel Fangio e chegou à sétima vitória. Até o fim da temporada seguinte, Ascari alcançou 13 triunfos na categoria e permaneceu com o recorde até o começo de 1955 – curiosamente, morreria naquele mesmo ano.

Juan Manuel Fangio – 1951, 1955/1968

Juan Manuel Fangio conduz a Mercedes W196  — Foto: Getty Images
Juan Manuel Fangio conduz a Mercedes W196 — Foto: Getty Images

Maior campeão de todos os tempos, Juan Manuel Fangio se tornou o maior vencedor da F1 em 1951 ao vencer pela quarta vez, passando Farina. Depois de dominar as temporadas de 1952 e 1953, Ascari se tornou recordista, mas Fangio foi para a Mercedes em 1954 e foi bicampeão. Na abertura do campeonato de 1955, na sua Argentina, Fangio ganhou pela 14ª vez e passou a ter o recorde. Numa sequência implacável, foi campeão também em 1955, 1956 e 1957, ano em que alcançou sua 24ª e última vitória.

Jim Clark – 1968/1973

Jim Clark conquistou sua última vitória na F1 em Kyalami, em 1968 — Foto: Reprodução/rede social
Jim Clark conquistou sua última vitória na F1 em Kyalami, em 1968 — Foto: Reprodução/rede social

Jim Clark é até hoje tido como um dos maiores de todos os tempos na F1. Ganhou uma corrida pela primeira vez em 1962, e, no ano seguinte, dominou a temporada, com sete vitórias. Em 1965, venceu mais seis vezes para faturar o bi. Mesmo sem ser campeão nos anos seguintes, Clark continuou como grande ídolo na F1. Dois anos depois, venceu mais corridas do que o campeão Denny Hulme, mas foi só terceiro na tabela. Na abertura da temporada de 1968, ganhou na África do Sul e quebrou o recorde de vitórias de Fangio. Mas Clark morreu meses depois numa prova de F2 na Alemanha.

Jackie Stewart – 1973/1987

 

Jackie Stewart recebe a bandeirada para vencer em Zandvoort, em 1973 — Foto: Reprodução
Jackie Stewart recebe a bandeirada para vencer em Zandvoort, em 1973 — Foto: Reprodução

Grande astro da F1 na virada para os anos 1960 para os 1970, Jackie Stewart estreou em 1965, venceu logo no primeiro ano e foi campeão pela primeira vez em 1969, ganhando seis provas. Com mais seis vitórias, levou o bi em 1971, mas a consagração veio mesmo em 1973: na Holanda, ganhou pela 26ª vez na F1 para passar o compatriota Clark. Obteve a 27ª e última vitória na prova seguinte, na Alemanha, e parou de correr no fim daquele mesmo ano.

Alain Prost – 1987/2001

 

Prost cruza a linha de chegada para quebrar recorde de vitórias, em 1987 — Foto: Reprodução
Prost cruza a linha de chegada para quebrar recorde de vitórias, em 1987 — Foto: Reprodução

Pilotando Renault e McLaren, o Professor acumulou vitórias nos anos 1980 e quebrou o recorde do amigo Stewart em Portugal, em 1987. Depois da troca de pneus, o francês descontou a diferença em relação ao líder Gerhard Berger, que sentiu a pressão e rodou. Foi a 28a vitória de Prost, que estenderia o recorde até 51 triunfos, o último na Alemanha, em 1993.

 

Schumacher acelera Ferrari durante o GP da Bélgica de 2001 — Foto: Getty Images
Schumacher acelera Ferrari durante o GP da Bélgica de 2001 — Foto: Getty Images

Michael Schumacher herdou a condição de astro da F1 após a morte de Ayrton Senna, em 1994. Bicampeão pela Benetton, Schumi foi para a Ferrari e, pouco a pouco, foi enfileirando vitórias. Empatou com Prost na corrida de seu tetracampeonato, na Hungria, em 2001. Na prova seguinte, na Bélgica, chegou à vitória 52 e foi ampliando o recorde de forma impressionante até alcançar 91 triunfos. Um recorde inalcançável. Até aparecer Lewis Hamilton…

Lewis Hamilton – 2020/?

Lewis Hamilton comemora recorde de vitórias na F1 — Foto: Getty Images
Lewis Hamilton comemora recorde de vitórias na F1 — Foto: Getty Images

O prodígio inglês começou vencendo corridas logo no ano de estreia, em 2007, foi campeão em 2008, mas depois teve anos irregulares na McLaren e viu Sebastian Vettel ser tetra com a RBR. Mas a transferência para a Mercedes em 2013 se revelou cirúrgica, e Hamilton soube potencializar a força da equipe com vitórias. O que parecia impossível aconteceu: Hamilton não só alcançou como passou Schumacher ao vencer o GP de Portugal de 2020.

Por GE