Capital Destaques

OS INVISÍVEIS DA SOCIEDADE – Prefeitura estreita parcerias para atender à população em situação de rua e imigrantes

Antes mesmo do isolamento social devido ao receio de contágio e proliferação do COVID-19, sempre foi fácil encontrar nas ruas da cidade de Porto Velho pessoas em situação de rua, que entre eles estão dependentes químicos vivendo em isolamento familiar e social, morando entre calçadas e vias da cidade, diversos imigrantes e pessoas que não possuem condições nenhuma de moradia.

É notório o risco destas pessoas ao contágio de coronavírus já que a condição destas não oferece o mínimo de higiene pessoal ou moradia, tendo em vista que já vivem em grande em risco social, sendo considerados invisíveis da sociedade.

Entretanto, as políticas públicas municipal à moradores em condição de rua e imigrantes através da Secretaria Municipal de Assistência Social e da Família (Semasf), firmou parcerias com a Cáritas Brasileira e com a Arquidiocese de Porto Velho para ampliar e melhorar o atendimento a esta população.

A informação é do secretário municipal de Assistência Social e da Família, Claudi Rocha.

“Segunda-feira (23), estivemos na arquidiocese de Porto Velho com o arcebispo metropolitano Dom Roque Paloschi, padres e irmãs, para a estruturação de um abrigo provisório, para atendimento aos imigrantes (ampliar vagas) e a população em situação de rua. A igreja sinalizou alguns espaços para serem utilizados, que serão visitados hoje, para início dos trabalhos”, informou o secretário Claudi.

Claudi fundamentou a parceria com a Cáritas, instituição esta que já desenvolveu diversos trabalhos em parceria com a Semasf, e neste momento tão suscetível aos moradores de rua contraírem a Covid -19, as ações serão ampliadas.

Segundo o secretário, serão destinados mais mais vagas de abrigos para os venezuelanos utilizando recursos da enchente de 2014, que já foram liberados para o cofre do executivo municipal. “Estamos cuidando do projeto em diálogo com o Ministério da Cidadania e com órgãos fiscalizadores para efetivar o mais rápido possível. Há também diálogo com outras instituições que estão como voluntárias, neste momento que atravessamos, para abrirmos um abrigo provisório”, informou Claudi Rocha.

“Para a população em situação de rua, especialmente para aqueles que não querem ser acolhidos (existem esses), a equipe de abordagem da Semasf está trabalhando na orientação de pontos para banhos e alimentos, tendo devido cuidado para evitar aglomerações, e a preocupação básica, com a higienização. Mas trabalhamos com objetivo de que ninguém fique na rua” explica o secretário da Semasf, Claudi Rocha.

Para informações da ação municipal, os telefones são (69) 3223-3864 e 9 8473-3588.

 

*Com informações iniciais da Prefeitura de Porto Velho