Capital Destaques politica

Parlamentares não participaram da abertura do Conselho de Ética contra o deputado Lebrão

Reprodução PF

Na tarde de terça-feira (27), estava previsto o início dos trabalhos do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de Rondônia, entretanto, foi adiada para a próxima semana pela ausência da maioria dos membros da Comissão. Dos sete (7) deputados escolhidos para representar o Conselho de Ética, apenas o presidente, Ismael Crispin (PSB) compareceu, os demais, sequer apresentaram justificativas.

De acordo com informações, após 30 minutos aguardando os membros, Crispim liberou os servidores da Assembleia. Faltaram à reunião de instalação do Conselho os deputados Jair Montes, Alex Redano, Marcelo Cruz e Edson Martins, que são titulares, e os suplentes Luizinho Goebel e Ezequiel Neiva.

A instalação do Conselho foi criado para apuração de graves denúncias envolvendo o deputado Eurípedes Lebrão (MDB), flagrado em gravações autorizadas pela Justiça e que estaria recebendo dinheiro da corrução para a filha, prefeita de São Francisco do Guaporé, Gislaine Lebrinha.

Na manhã de terça-feira, o presidente Ismael Crispin havia explicado à imprensa que a partir da instalação do Conselho, seria definido o relator dos processos contra Lebrão e ele seria notificado para apresentar defesa prévia.

Falhas no Conselho de Ética

Há cerca de cinco anos, as regras criadas pelo Conselho de Ética, foram escritas pelo Deputado Lebrão. De acordo com o texto que regulamenta o Conselho de Ética, os prazos para parlamentares acusados fazerem sua defesa são estendidos e podem chegar até 100 sessões ordinárias para a votação final dos processos encaminhados pelo Conselho ao plenário da Assembleia, o que dificulta uma resposta imediata diante das provas vistas em vídeo divulgado pela Polícia Federal (PF), onde o deputado Lebrão recebia dinheiro de propina, facilitando a impunidade diante do caso.

*Informações iniciais do Rondoniagora