Connect with us

Hi, what are you looking for?

Capital

PATRIMÔNIO RUINDO – Sem providências caixas d’água históricas podem cair a qualquer momento na praça

O vereador Professor Aleks Palitot, esteve no final de janeiro na 16ª e 17ª Promotoria de Habitação e Urbanismo, onde conversou com o Titular, Dr. Jesualdo Leiva de Faria, solicitando providência para a base da estrutura da Caixa D’Água que está se deteriorando de forma irreversível, devido a ao local ser utilizado como mictório para alguns transeuntes mal educados.

Há três anos, mas precisamente em fevereiro de 2017, Aleks Palitot já havia protocolado através do Pedido de Providência 249/CMPV-2017, a solicitação ao Secretário Municipal de Desenvolvimento Socioeconômico e Turismo (Semdestur), que tinha como titular Júlio Cesar Siqueira, para a realização do serviço de reparo e manutenção das Caixas D’água.

O monumento está localizados bem na região central de Porto Velho, no bairro Caiari, ponto de referência histórico urbana desde o período da criação da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Composto por três estruturas é um dos marcos da capital e também Patrimônio Histórico/Cultural de Porto Velho.

Ainda em 2017 um laudo foi emitido pelo Conselho Regional de Arquitetura e Urbanismo (CAU), que alertou para o problema nas bases estruturais, principalmente do monumento de 1910, o mais antigo, por estar em piores condições. O laudo atestava que a ferrugem corroeu o metal e poderia causar um sério acidente resultando na queda da armação.

Em outubro de 2018 a Defesa Civil interditou a área pelo risco oferecido à população em razão da deterioração causada pela ação do tempo. A ordem partiu do Ministério Público do Estado após nova denúncia e laudo de vistoria.

O caso havia sido informado ainda ao Corpo de Bombeiros Militares e ao Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN) e, após medidas legais, a Prefeitura se comprometeu com as obras de recuperação. Porém até o momento a base continua na mesma situação.

O vereador Palitot disse que  “a consciência de preservação e valorização do patrimônio histórico é algo que pode ser adotado pelos cidadãos. Pichações, depredações e outras formas de vandalismos que se tornaram comuns em Porto Velho, não devem ser adotadas como normais e devem ser rechaçados. O local vem sendo usado como banheiro, algo que contribuiu para a sua deterioração, e somente através da adoção de práticas civilizadas é que poderemos dar o devido valor que nossa história merece”, alerta o vereador.

O Rondoniense (Marcos Souza)

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

O avanço da covid-19 mantém Rondônia ainda em situação crítica para doença e a população precisa ficar atenta às restrições implementadas pelo Governo de...