Esporte

Pela primeira vez onde Maradona brilhou, Messi pega o Napoli para afastar traumas do Barcelona

Após duas eliminações traumáticas seguidas na Liga dos Campeões, o Barcelona estreia no mata-mata da atual edição em um palco onde um argentino é Deus. E não é Messi. Pela primeira vez em sua carreira, o camisa 10 da equipe catalã enfrentará o Napoli. E pisará no San Paolo, lar de Maradona por sete anos.

Maradona no Napoli

  • 254 jogos
  • 115 gols
  • 59 assistências
  • Média 0,68 participações em gols por jogo
  • 5 títulos

Messi no Barcelona

  • 715 jogos
  • 626 gols
  • 247 assistências
  • Média de 1,22 participações em gols por jogo
  • 34 títulos

Nápoles é dominada pela devoção a Diego. Lá, Maradona viveu alguns de seus melhores anos, conquistou cinco títulos, dentre eles os dois únicos troféus do Campeonato Italiano da história do Napoli. E a única taça continental do clube, a Copa da Uefa – atual Liga Europa – de 1989.

Como qualquer camisa 10 argentino, Messi conviveu com as comparações em toda a carreira. Especialmente quando começou a empilhar recordes e títulos. A conexão ao ícone do futebol na Argentina não deixaria de ser tema em um encontro como o desta terça-feira.

E um dia, Messi pisou no gramado de D10S

O técnico do Barcelona, Quique Setién, tratou de agradar todos os lados. Mas reforçou uma característica de Messi que o faz merecer mais destaque, segundo o treinador.

– Leo é um grandíssimo jogador, que leva 14, 15 anos fazendo o que faz todos os jogos. Essa é a diferença que eu vejo.

“Não vemos um jogador com tamanha qualidade com a que tem Leo. Também desfrutei muito com Maradona, com Cruyff. Eles são os que nos fizeram amar esse esporte”, afirmou Setién.

Veja lances de Messi e Maradona:

Piqué concorda com seu técnico. Também vê Messi à frente. No Napoli, todos defendem o seu lado da história. O atacante Insigne e o técnico Gattuso apelaram para a divindade em torno de Maradona.

– Para mim, atualmente, Messi é o melhor jogador do mundo. Mas não quero fazer comparações com Maradona, que para nós, napolitanos, é sagrado – afirmou Insigne, que é natural da região de Nápoles.

– Diego é o Deus do futebol, não estou dizendo isso hoje – declarou Gattuso.

O trauma de Roma e Liverpool

Mais do que lutar contra a sombra de Maradona, Messi e seus companheiros têm que combater dois traumas recentes pela Liga dos Campeões: as eliminações para Roma, em 2018, e Liverpool, em 2019. Há dois anos, foi nas quartas de final. No ano passado, pela semi.

Diante dos italianos, o time espanhol venceu por 4 a 1 na ida e perdeu por 3 a 0 na volta. Contra os ingleses, o Barça venceu por 3 a 0 em casa e foi goleado por 4 a 0 na volta. Piqué admite que o time leva esse peso consigo.

– Não esqueceremos nunca. É história do nosso clube e o que vivemos. Das derrotas também se aprende. Tudo que aparecer, saberemos como enfrentar e levar adiante. Com certeza, aprendemos com o que aconteceu – definiu.

Em campo, o Napoli convive com algumas dúvidas. Milik, Lozano e Llorente não estão garantidos. Koulibaly, com lesão na coxa, é desfalque. No Barcelona, além de Suárez, Dembélé, e Jordi Alba, Sergi Roberto também será desfalque por lesão.

Prováveis escalações

Napoli: Meret; Di Lorenzo, Manolas, Maksimović, Mário Rui; Fabián Ruiz, Demme, Zieliński; Callejón, Mertens, Insigne
Técnico: Gennaro Gattuso

Barcelona: Ter Stegen: Semedo, Piqué, Lenglet, Junior Firpo: Arthur, Busquets, De Jong: Messi, Griezmann, Fati
Técnico: Quique Setién

Chelsea x Bayern: a vez de Coutinho?

No outro jogo do dia, o Chelsea recebe o Bayern de Munique em Stamford Bridge, também em jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Os Blues, que ocupam a quarta posição do Campeonato Inglês, tentam voltar a disputar as quartas de final após seis anos. A última vez foi em 2014.

Philippe Coutinho, ao lado de Odriozola, em treino do Bayern de Munique na véspera do jogo contra o Chelsea — Foto: Philipp Guelland/EFE

Líder do Campeonato Alemão, o Bayern de Munique fez a melhor campanha na fase de grupos da história da Liga dos Campeões. Está invicto há 11 jogos. O técnico Hans Flick convive com uma dúvida: dar ou não mais chances para Philippe Coutinho?

No embarque para Londres, o presidente da equipe alemã, Karl-Heinz Rummenigge, disse que o brasileiro às vezes parece inibido no clube. Flick defendeu o meia-atacante, que está emprestado ao Bayern pelo Barcelona.

“Sua performance nos treinamentos sempre me dão a esperança de que ele vai entregar. Ele é um jogador talentoso. Ele coloca muita pressão em si mesmo, sempre quer deixar sua marca no jogo. Nós vamos continuar apoiando ele”, declarou o treinador.

O Chelsea sofre com importantes desfalques: o volante Kanté, e os atacantes Hudson-Odoi e Pulisic, todos lesionados. O Bayern não terá o meia Perisic, o zagueiro Süle e o volante Javi Martínez.

Chelsea nunca perdeu para times alemães em casa

Prováveis escalações

Chelsea: Caballero; Azpilicueta, Christensen, Rüdiger; James, Jorginho, Kovačić, Alonso; Mount, Abraham, Willian
Técnico: Frank Lampard

Bayern de Munique: Neuer; Pavard, Boateng, Alaba, Davies; Kimmich, Thiago; Coman, Müller, Gnabry; Lewandowski
Técnico: Hans Flick

Fonte: Globo Esporte