Economia Rondônia

Plano de Desenvolvimento Industrial vai dar oportunidade de indústrias de RO crescerem com mais força

Above

 

Foi apresentado na quinta-feira passada com uma apresentação criteriosa em um evento para secretários do Governo, empresários e entidades do setor produtivo, o Plano de Desenvolvimento Industrial de Rondônia (PDI), através da Superintendência de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi) e Federação das Indústrias de Rondônia (Fiero), que dará oportunidades de investimentos da  política de desenvolvimento industrial dos próximos anos com um planejamento eficiente.

O PDI foi concebido pela Fiero e realizado pela Sedi por meio da contratação da Macrologística Consultoria, com o investimento de pouco mais de R$ 2 milhões, aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento de Rondônia (Conder). No evento, o economista Olivier Girard, diretor da empresa responsável e coordenador do projeto, foi responsável por apresentar o projeto e tirar as dúvidas possíveis.

SEIS EIXOS

O plano trabalha com seis eixos que buscam a atração de investimentos e a procura de oportunidades em Rondônia, que depende de uma logística eficiente, de segurança hídrica, garantia do suprimento energético, nas tecnologias de informação e comunicação de qualidade, na garantia de mão de obra qualificada para as suas necessidades e em um plano de incentivos para a agregação das cadeias de valor do Estado.

“Esse planejamento estratégico será a mola propulsora do Estado nos próximos 10 anos e se for implementado, fará Rondônia atingir o seu pleno potencial, tornando-se cada vez mais competitivo a nível nacional, regional e internacional, diferenciando-se dos outros estados da Federação”, explica Olivier.

O PIB Industrial de Rondônia, segundo dados do Portal da Indústria, é de R$ 6,6 bilhões. O setor de alimentos foi a atividade que mais ganhou participação na indústria do estado, pois aumentou 1.6 pontos percentuais entre 2007 e 2016. O setor industrial emprega 14.8% dos empregos formais do Estado, com um salário médio de R$ 2.093,9. Um dos pontos em que Rondônia se destaca como atrativo para novos investimentos é o custo da tarifa de energia, a menor entre os estados da Federação.

O superintendente da Sedi, Sérgio Gonçalves, ressalta que o maior desafio agora é levar esse documento para os gestores públicos. “Precisamos incentivar os secretários a conhecerem esse material e e transformar esses dados e informações estratégicas, especialmente na questão de infraestrutura, em políticas públicas”.

Below