Capital

Porto Público inicia campanha de combate ao Aedes Aegypti

Vetor da transmissão de doenças como Dengue, Chikungunya e Zika, o mosquito Aedes Aegypti está no centro das atenções da campanha de combate promovida pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) em 2019. Neste intuito, a diretoria executiva e os funcionários do Porto Público de Porto Velho deram início ao Plano de Contingência das Doenças Transmitidas pelo mosquito no poligonal portuário nesta sexta-feira, 18.

O mutirão de varredura dos pátios do Porto de Porto Velho, bem como nas casas do entorno localizadas no bairro Panair, também será acompanhada da entrega de panfletos com orientações sobre a melhor forma de acondicionar lixo doméstico, bem como a conservação das áreas adjacentes livres de criadouros. “Redobramos nossa atenção para permanecer com as áreas limpas e livres de possíveis focos de procriação do mosquito, responsável pela transmissão de tantas moléstias. É nossa preocupação com a saúde e bem-estar tanto dos funcionários quanto visitantes, moradores e daqueles que circulam pela região. O lixo deve ser desprezado da forma correta a fim de evitar transtornos à comunidade em geral”, relatou Leudo Buriti, diretor presidente do Porto Público.

A destinação correta de resíduos de lixo evita o acúmulo de água das chuvas em diferentes recipientes como tampas de garrafas, calhas entupidas ou pneus. De acordo com a bióloga da SOPH, Cristiane Alaíde, o mosquito tem preferência nítida por água limpa e parada. “Qualquer ponto que acumular uma quantidade mínima de água serve como local de procriação. Limpar o próprio quintal e as áreas da redondeza é uma questão de saúde pública. Este ano, recebemos uma certa quantidade de veneno Piriproxyfem para aplicar em caixas d’água que se por ventura estiverem sem tampa, evitarão também que o mosquito deposito os ovos ali”, afirmou a bióloga.

Confira alguns cuidados simples que evitam a transmissão:

Mantenha a casa limpa e sem água parada para evitar os possíveis criadouros: nada de manter pratinhos de plantas com água, garrafas pet ou qualquer objeto que facilite o acúmulo de água;

Dê um cuidado especial ao armazenamento e destinação do lixo. Jamais descarte qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos. Latas, caixas de leite e similares, é recomendável retirar o fundo para descartar;

Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas;

Mantenha limpos e escovados os bebedouros de animais domésticos; a água deve ser trocada diariamente;

Mantenha piscinas devidamente tratadas;

Cuidados extras para reservatórios de água: caixas de água devem estar bem tampadas e vedadas. Se optar em armazenar água das chuvas, é importante que tampe bem os recipientes.

A água sanitária também poder ser utilizada para eliminar as larvas do mosquito Aedes Aegypti. Mas é importante lembrar que ela NÃO PODE ser utilizada em recipientes usados para armazenamento de água para consumo humano e de animais. O tratamento deve ser repetido semanalmente, de preferência em dia fixo, de modo a garantir que a solução continue efetiva.

Secom – Governo de Rondônia

O Rondoniense
Comentários

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios