Connect with us

Hi, what are you looking for?

Capital

Prefeitura de Porto Velho quer fortalecer agroindústrias com apoio do Sebrae

Com investimentos, cooperativas esperam dobrar ou triplicar, dependendo da demanda e da absorção do mercado

Buscando fortalecer a agricultura familiar e o cooperativismo, a Prefeitura de Porto Velho está realizando, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), um diagnóstico da situação das agroindústrias que já funcionaram ou que estão ativas na capital, com o objetivo de melhorar a capacidade produtiva de cada uma delas.

Na tarde de quinta-feira (18) foram feitas as apresentações das cooperativas CoopproJirau e Coomade ao secretário adjunto da Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric) , Gustavo Serbino e aos consultores do Sebrae.

Instalada em Nova Mutum Paraná, a Cooperativa de Produtores Rurais do Observatório Ambiental Jirau (CoopproJirau) desenvolve projetos de geração de renda, capacitações e assistência técnica, além da organização da produção agropecuária para comercialização.

Composta por 159 cooperados, a Coopprojirau é gestora de duas agroindústrias: de açaí e de farinha, sendo que a agroindústria de açaí tem capacidade de processamento de 3.500 latas por dia e a de farinha de 1 tonelada ao dia.

“Com investimento a nossa produção pode dobrar ou triplicar, dependendo da demanda e da absorção do mercado. Para que isto aconteça, hoje nós viemos fornecer informações necessárias para o levantamento e diagnóstico de produção da área onde estamos instalados. Nós fomos procurados pela Semagric e pelo Sebrae para desenvolver em parceria o projeto de fomento para as agroindústrias que foram viabilizadas através de compensação social. É muito importante que eles tenham essa iniciativa para que possam estar dando apoio a essas cooperativas que foram criadas ao longo desse processo”, reforçou Cássio Almeida Conrado Braga, gerente geral da CoopproJirau.

Já a Cooperativa de Agroextrativismo do Baixo e Médio Madeira (Coomade) reúne 175 cooperados e 5 agroindústrias, são elas: polpa de frutas em Cujubim, castanha em São Carlos, polpa de frutas em Nazaré, babaçu em Calama e farinha em Demarcação.

Com o planejamento, a cooperativa pretende fomentar a produção, atendendo a demanda de processamento. “Nós somos deficitários na produção no baixo madeira. Com esse diálogo podemos buscar soluções e nos estruturar. O baixo madeira não era atendido e com a nossa gestão, queremos buscar essa parceria”, disse o presidente da cooperativa, João Batista Carval.

Ao final de cada apresentação, o adjunto da Semagric expôs a preocupação do prefeito em fortalecer o setor, sem o desperdício de recursos públicos. Gustavo relembrou os programas de incentivo em funcionamento na secretaria e esclareceu que esse diagnóstico associado a expertise do Sebrae é fundamental para o sucesso da proposta.

“Temos os programas de fomento, mas antes de tudo precisamos capacitar os produtores para dar continuidade a eles sem desperdícios, zelando pelos investimentos tanto por parte das cooperativas quanto do poder público. Com o trabalho de planejamento estratégico iremos atingir diretamente 500 famílias e indiretamente muitas outras”, disse o gestor.

Assessoria

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Brasil

Falta de matéria-prima importada ameaça fabricação de imunizantes contra a covid no país. IFA que chegaria esta semana para o Butantan só desembarca na...