Economia

Produção de aves em Rondônia deve expandir e beneficiar mais produtores da agricultura familiar

Fotos: Fabiano Cremonini

O Governo de Rondônia tem buscado várias alternativas de investimentos para fomentar o setor produtivo do agronegócio. Na semana passada, uma equipe formada pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) visitou a empresa Globoaves de Espigão do Oeste, único frigorífico de aves instalado no Estado, com serviço de Inspeção Federal (SIF), habilitado para exportação e que comercializa seus produtos com a marca Avenorte. O intuito do governo é buscar novas formas para auxiliar a alavancar a atividade da avicultura em Rondônia, garantindo mais oportunidades de empregos e melhorias para os produtores.

O frigorífico abate de segunda a sexta-feira 60 mil aves por dia, totalizando 300 mil por semana com sistema de integração avícola. De acordo com a médica veterinária responsável pelo incubatório da Globoaves, Kauana Rando, para o próximo mês, a indústria irá expandir o abate em um dia, no sábado, e com isso a soma de cabeças abatidas saltará para 360 mil aves por semana, um aumento de 20% na capacidade de produção para a unidade.

A projeção para o ano de 2021 é de aumentar esse volume para 480 mil aves por semana, abatendo 80 mil aves diariamente de segunda a sábado. A indústria pretende aumentar em 20% sua capacidade de abate e com isso gerar mais de mil vagas de empregos, diretas e indiretas.

Além da produção de pintos de um dia para abastecer a integração avícola da unidade, a Globoaves, que hoje é uma das maiores produtoras de ovos férteis e pintos de um dia no Brasil, distribui na região de Rondônia cerca de 75 mil pintaínhos semanalmente entre pintos de corte, postura e colonial que são direcionados para lojas agropecuárias e pequenos produtores rurais. Esses pintaínhos já saem da unidade vacinados e prontos para criação para a atividade desejada, sejam elas para produção de ovos ou para a produção de carne no sistema de manejo escolhido. A projeção para o ano de 2021 nesse segmento é aumentar a produção e distribuição para 110 mil aves semanais.

Fotos: Fabiano Cremonini

No setor de integração, onde se é produzido o frango de corte para o abate no frigorífico, a empresa fornece o pintinho com um dia de vida para o integrado, a ração que é fornecida conforme cada fase de vida da ave balanceada e ideal para todo ciclo (em média 45 dias), além de todo o acompanhamento técnico de médicos veterinários e zootecnistas.

“O técnico responsável estará diretamente em contato com o produtor/integrado para repassar as informações necessárias para a criação das aves. Auxiliando com informações técnicas de manejo e sanidade avícola para que o frango chegue ao peso final para o abate, onde passa por todo processo de produção assim chegando ao consumidor final com toda a garantia de qualidade”, enfatiza a veterinária Kauana Rando.

Segundo o secretário da Seagri, Evandro Padovani, a Globoaves é a primeira empresa no Estado de Rondônia que está com esse ramo de atividade em crescimento e por determinação do governador Marcos Rocha, o Estado dará todo o apoio para alavancar o setor e oportunizar mais uma forte atividade para o produtor rural.

“É uma atividade que envolve principalmente os produtores rurais na parte de integração e produção de matéria-prima, como a criação das aves para abate, sendo muito importante para a agricultura familiar”, ressaltou o secretário.

O gerente de desenvolvimento da pecuária da Seagri, Fabiano Cremonini, informa que a venda de cortes de frango produzidos pela Globoaves ainda é realizada somente no mercado interno, mas a empresa já tem projetos para realizar exportação para diversos países. “A empresa já possui certificação e autorização para exportação e já está negociando com parceiros para enviar seus produtos ao exterior”, ressalva.

Entre os trabalhos realizados pelas equipes técnicas da Seagri e Emater, estão as visitas aos produtores com o objetivo de auxiliar e ajudar a melhorar o setor de avicultura no Estado.

Secom