Destaques Rondônia

PROFISSIONAIS DA SAÚDE EM RISCO – Mais de 850 servidores estão afastados por conta do coronavírus

Na coletiva realizada nesta quarta – feira (13), o secretário de saúde do estado, Fernando Máximo, atualizou os números de Covid-19, em Rondônia. No entanto, o que mais vem assustado são os casos de servidores da área da saúde afastados pela doença.

Nesta quarta, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), contabilizou 857 servidores da rede pública de saúde afastados de suas funções.

“Lembrando que entre esses trabalhadores existem pessoas que testaram positivo para Covid-19, servidores que estão afastados porque são do grupo de risco e outros estão com a suspeita da doença”, explicou Fernando Máximo.

Na coletiva, o secretário informou que o Governo está realizando cotação de preços em hotéis da cidade para a hospedagem de profissionais que atuam na linha de frente no combate ao Coronavírus.

“Essa é uma proposta nossa, boa parte dos servidores não tem interesse. Nós já fizemos a cotação de preços nos hotéis e em breve estaremos proporcionando isso aos nossos profissionais”, finalizou Fernando Máximo.

Acompanhe a coletiva:

Servidores com Coronavírus

Segundo a Sesau, o  Hospital João Paulo II possui 142 servidores que apresentaram resultado positivo para Coronavírus. Já no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, o número de trabalhadores infectados com a doença chegou a 178.

No total, 123 estão colaboradores da área da saúde, que foram infectados, estão curados, e desses, 106 são do João Paulo.

Hospital de Campanha

Fernando Máximo ainda falou que a Sesau entrou em contato com o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops), e estão em tratativas para a implantação de um hospital de campanha.

“Eles estão avaliando, fizemos cotação de vários preços. Nós firmamos um acordo com eles, temos um contrato assinado com essa empresa, e eles estão analisando preços, disponibilidade e prazo. Queremos que entregue o hospital, em um prazo rápido, e possivelmente dará certo as tratativas”, disse o secretário.

Hidroxicloroquina

De acordo com o secretário, o medicamento está sendo usado em todos os pacientes internados que não tem contra indicação. “Esses que faleceram, praticamente todos usaram o medicamento. É difícil dizer que algum paciente foi curado com esse medicamento, mas todos os que não tinham contra indicação usaram”, disse.

O uso de anticoagulantes também está sendo usado no tratamento dos pacientes com Covid-19, segundo Fernando Máximo. “Está no nosso protocolo. Já está comprovada em necropsias em alguns países, que essa doença causa uma coagulação intravascular, ou seja, os vasos sanguíneos principalmente do pulmão, acabam ficando coagulados e isso atrapalha a ventilação, a entrada de oxigênio no organismo desses pacientes. Tudo aquilo que vem sendo mostrado no mundo, que tem uma certa eficácia, que tem trabalho científico, que dá uma esperança e pode salvar vidas, a gente tem implementado em nosso Estado”, enfatizou o secretário.