Capital Destaques

Profissionais de saúde recebem capacitação em ventilação mecânica

O treinamento foi dividido em 4 semanas, sendo: (1) Preparo, (2) Oxigenioterapia, (3) Ventilação Mecânica, (4) RPC/Cardioversão

Médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas que atuam nas Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) e em unidades de referência para o tratamento de pacientes com suspeita ou infectados pelo novo coronavírus (Covid-19), em Porto Velho, participam de uma capacitação em ventilação mecânica (de ajustes iniciais até a reanimação utilizando ventilador).

A proposta visa qualificar todos os profissionais de saúde que estejam em contato direto com estes pacientes e que manuseiam respiradores. A capacitação ocorre em parceria entre o Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Saúde (Conass), Hospital do Coração (HCor), Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), e Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

De acordo com Angelita Mendes, gestora do Núcleo Gestor de Educação Permanente (Nugep), na última sexta-feira (5), o processo ensino aprendizagem ocorreu nas UPAs Sul e Leste com a participação dos profissionais, que estavam de plantão.

“Este é um processo muito utilizado dentro da perspectiva de Educação Permanente, bem como em ensino-serviço, pois a ventilação mecânica é determinante no tratamento dos casos graves de infecção pelo Covid-19, quando os pacientes apresentam insuficiências respiratórias”, disse.

Angelita lembrou que, em meio à pandemia, a demanda por respiradores cresceu. “Atualmente no Brasil, existem 61 mil respiradores em uso. O aparelho é essencial para tratar casos graves e muito graves da doença e é utilizado quando o pulmão do paciente está muito comprometido e ele não consegue respirar por conta própria”, informou lembrando que, pela escassez ele se torna mais um problema, sendo necessários que “os recursos humanos sejam devidamente qualificados para o seu manuseio”.

Normalmente, os equipamentos estão disponíveis apenas em leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e em UPAs (Tipo II).

FASES

O treinamento foi dividido em 4 semanas, sendo: (1) Preparo, (2) Oxigenioterapia, (3) Ventilação Mecânica, (4) RPC/Cardioversão.

CAPACITAÇÕES

Desde o início da pandemia, a Semusa, através do Núcleo de Educação Permanente, Departamento de Vigilância em Saúde e Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), os profissionais de saúde das UPAs vêm sendo foram qualificados em vigilância epidemiológica, tratamento e coleta laboratorial para o novo corona.

Ainda nesta proposta, as próprias UPAs, por meio de seus profissionais já qualificados, qualificaram/atualizaram, em Covid-19, os demais servidores.

Comdecom