Connect with us

Olá, tudo bem? O que você está pesquisando?

Rondônia

Programa e-Carteirinha do IFRO recebe Certificado de Registro de Programa de Computador do INPI

Divulgação

O programa e-Carteirinha do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), criado pelo ex-servidor Ewerton Andrade e pelo aluno do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Campus Porto Velho Calama, Matheus Dias Vieira recebeu o Certificado de Registro de Programa de Computador, emitido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

O programa foi criado no escopo de um projeto selecionado no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico (PIBIT-CNPq – Ciclo 2018-2019). “A participação do Matheus foi essencial, pois a ideia partiu dele e da sua observação de dificuldades encontradas por alunos do IFRO. Por isto, acredito que ele sempre se manteve motivado e prestativo durante a execução das tarefas do projeto (especificação, desenvolvimento, criação de protótipo, testes, e demais atividades)”, relatou o Professor Ewerton Rodrigues.

A Coordenadora do Núcleo de Inovação Tecnológica do IFRO (NIT), Nicole de Moura, explica que, seguindo a tendência de disponibilização de documentos digitais de identificação, o programa de computador desenvolvido e, agora registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), visa criar uma versão digital da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) para estudantes do Instituto Federal de Rondônia (IFRO). “Dentro das instituições de ensino, este documento é popularmente chamado de ‘carteirinha’, por este motivo, o nome do programa ‘e-Carteirinha”, acrescenta.

Com a implantação desta solução, espera-se que: (I) seja diminuído o período de espera para a confecção deste documento de identificação, (II) seja necessário menos servidores/colaboradores para sua emissão, (III) haja um acréscimo de segurança em razão dos mecanismos implementados nesta nova versão digital do documento, (IV) estabeleça-se uma estrutura que permita extensão e comunicação com novos sistemas. Para isto, a solução foi desenvolvida nativamente para Android utilizando a linguagem Java e a ferramenta Android Studio, juntamente com bibliotecas de persistência, segurança da informação e comunicação e desenvolvimento web.

Nicole destaca que algumas dificuldades do dia a dia podem ser resolvidas pela comunidade interna do IFRO, como foi o caso da criação do e-Carteirinha. “Para o IFRO é a demonstração de que podemos gerar soluções técnicas e tecnológicas às demandas institucionais. Para servidores é uma forma de aplicação do processo formativo. Para os estudantes é um estímulo ao desenvolvimento educacional com vistas à atuação profissional”, reforça, acrescentando que: “O programa pode ser utilizado pelas unidades do IFRO, por outra instituição que se interesse [através de formalização de acordo] e também pode ser comercializado”.

A coordenadora explica ainda que, para os autores do programa, algumas vantagens desse certificado correspondem à pontuação no currículo e consequentemente na seleção de editais e, “[…] caso venha a ser comercializado, os autores podem ter direito à retribuição”.

O Professor Ewerton salienta que a participação em projetos de Inovação Tecnológica é essencial para que os envolvidos vivenciem o processo de transformação de uma ideia em um produto, pois essa é uma habilidade imprescindível para o profissional de hoje. “Além disso, o registro de software contribui significativamente para a melhoria dos parâmetros educacionais e indicadores de inovação do IFRO e de seus cursos tecnológicos”, diz acrescentando que o Projeto e-Carteirinha também foi publicado em forma de artigo científico no Encontro Nacional de Computação dos Institutos Federais.

Matheus Dias Vieira atualmente cursa o 6º período do Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) no Campus Porto Velho Calama, mas a execução do projeto ocorreu entre o 2º e 3º período (2018.2 e 2019.1). O acadêmico conta que antes do projeto e-Carteirinha já havia realizado alguns projetos pessoais e alguns trabalhos de freelancer em desenvolvimento WEB, mas nada próximo ao aplicativo desenvolvido no IFRO. “Após o projeto, tive uma grande melhora em minhas habilidades de desenvolvimento que me permitiram participar de outros grandes projetos. Sem essa experiência da e-Carteirinha eu não teria alcançado tudo que consegui hoje”, comenta.

Para Matheus, participar do projeto “[…] Foi uma experiência incrível. Desde o ensino médio tinha vontade de vivenciar um projeto científico, quando surgiu essa oportunidade de iniciação junto ao Professor Dr. Ewerton, para mim foi uma grande felicidade. Todas as etapas do projeto, desde o aceite de orientação pelo Professor Dr. Ewerton, a aprovação no edital de fomento, até o desenvolvimento do aplicativo foram momentos que me fizeram evoluir tanto como profissional quanto como pessoa”.

O estudante destaca que na sua vida acadêmica, o projeto propiciou uma maior compreensão dos assuntos aprendidos dentro de sala de aula, uma vez que estava tendo oportunidade de aplicá-los na prática. “Na vida profissional, eu tive uma grande vantagem, pois durante o projeto utilizei diversas ferramentas de desenvolvimento amplamente aceitas pelo mercado, o que me proporcionou experiência e, consequentemente, diferencial frente a outros candidatos nas entrevistas que participei”, elenca acrescentando: “Outro ponto positivo foi o fato de que a presença de uma iniciação científica no meu currículo foi um grande destaque nas entrevistas de emprego que participei. Consegui aprovação em um processo seletivo de estágio e, posteriormente, para o cargo de Business Intelligence Analyst graças ao fato de possuir habilidades de pesquisa, obtidas durante o projeto da e-Carteirinha”.

Sobre Programas de Computadores e Direitos Autorais

O Programa de Computador é uma obra intelectual enquadrada nos Direitos Autorais. A Política de Inovação do IFRO, Resolução nº 30/2013/CONSUP/IFRO, define que pertencem ao IFRO as criações resultantes de atividades realizadas com a utilização, cumulativamente ou não, de suas instalações, recursos financeiros, materiais ou imateriais, equipamentos, dados, informações e conhecimentos de qualquer natureza pertencentes ao IFRO, ou aquela que tenha sido realizada, total ou parcialmente, por servidores e alunos. Assim, todos os programas que tenham sido desenvolvidos com recursos do IFRO devem ser encaminhados ao Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da unidade para registro junto ao INPI.

O IFRO já possui outros dois programas de computador certificados pelo INPI: 1) Detmatsis 1.0 – Software para cálculo de determinantes de matrizes e resolução de sistemas lineares, desenvolvido no Campus Ji-Paraná, sendo autores Rafael Alves Fuhnnann, Rânila Evellin Guedes Cardoso Mantovani Pereira e Windson Moreira Candido; 2) Painel de Indicadores, desenvolvido na Reitoria, sendo o servidor Elias dos Reis Lima o autor. Para o ano 2021, há previsão de registrar 12 programas de computador, com a seguinte distribuição de desenvolvimento: Reitoria (1); Campus Colorado do Oeste (4); Campus Jaru (1); Campus Porto Velho Calama (4); Campus Porto Velho Zona Norte (1) e Campus Vilhena (1).

IFRO/RO

Faça um comentário

Você pode gostar

Brasil

Em 09 de julho de 2020 o senador Randolfe fez uma live com seus heróis médicos, que salvaram muitas vidas no Amapá usando um...

Brasil

    Na minha contínua necessidade de “ler o mundo”, um dos caminhos é a leitura de jornais. Essa “troca de ideias” com pessoas...

Contraponto

[Tendo em vista (i) o impacto dos acontecimentos recentes na França e (ii) a profundidade da análise feita por Theodore Dalrymple, peço licença a...

Mundo

Atualmente, é comum que navegadores de internet como o Google Chrome ou o Safari já venham de fábrica instalados diretamente nos sistemas operacionais. Porém,...