politica

Projeto de Léo Moraes que coloca corrupção como crime hediondo será votado no Congresso

Divulgação

O congressista também falou sobre a atuação louvável da Polícia Federal durante esse período de pandemia

De autoria do deputado federal Léo Moraes (PODEMOS) o Projeto de Lei 2310/2020 que incluiu no rol no de crimes hediondos as praticas de peculato, emprego irregular de verbas ou rendas públicas, concussão, corrupção passiva, prevaricação, tráfico de influência e corrupção ativa, quando envolver dinheiro, valor ou qualquer outro bem destinado ao enfrentamento da pandemia de COVID-19, já tramita no Congresso Nacional.

Para Léo Moraes, a intenção é que o ato de corrupção praticado por agentes públicos fique inserido na Lei como crime hediondo não apenas durante a pandemia. Uma vez que esses crimes causam graves sequelas à sociedade.

“Esses desvios matam! Corrupção mata! E esperamos que todos paguem de maneira dura. Defendemos que essa inclusão no rol de crimes hediondos não seja apenas durante períodos de calamidade, mas sim em todos os casos, pois um dos problemas do Brasil é a impunidade para corruptos”, afirmou o deputado Léo Moraes.

O congressista também falou sobre a atuação louvável da Polícia Federal durante esse período de pandemia, desvendando esquemas e investigando suspeitas de corrupção de verbas que devem ser prioritariamente utilizadas para salvar vidas.

“A polícia federal tem trabalhado incansavelmente para desmascarar os criminosos que estão utilizando a pandemia para desviar recursos, e não é justo que todo esse trabalho seja jogado no lixo. Inclusive, em Rondônia já tivemos a ida da Polícia Federal por conta de suspeitas da má utilização do recurso público”, falou Léo Moraes.

O Projeto de Léo Moraes já passou pela comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara Federal e agora está na pauta de votação do Congresso.

Assessoria