Interior Justiça Justiça

Quadrilha e presa acusada de cometer assassinatos em série em RO, veja os detalhes dos crimes

Above

A Polícia Judiciária Civil de Estado de Rondônia, por meio do Departamento de Polícia do Interior e da Delegacia de Ministro Andreazza deflagrou terça-feira (20/08), uma operação que deu cumprimento a mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar referentes aos homicídios de  Antonio Franciele Piveta e Sergio Gomes de Araujo, ocorridos no ano de 2019.

Foram cumpridos 07(sete) mandados de busca e apreensão domiciliar e cinco mandados de prisão preventiva. Foram presos Mauricio de Souza Genovez, Maycon Anderson, Rogério Favaratto, Wilhasmar Ventramelli e Leandro Ramos Ferreira, desses indivíduos apenas Gervásio Lucas Brandão que ainda se encontra-se foragido.

No dia 11 de abril de 2019, Antonio foi vítima de homicídio na cidade de Ministro Andreazza, alvejado por diversos disparos de arma de fogo tipo pistola calibre .40. “Piveta”, como era conhecido, era sobrinho de Neuri Persh, ex-prefeito de Ministro Andreazza, morto no ano de 2017. Antonio era ligado ao Sidney Sotele, olheiro dele, que acabou sendo morto por conta disso.

Dias depois, Sergio Gomes de Araújo foi sequestrado e morto na Zona Rural de Ministro Andreazza. O corpo dele foi “desovado” em uma estrada pertencente ao município de Presidente Médici/RO. SERGIO foi morto por disparos de arma de fogo calibre .40. Os assassinos queimaram o corpo e o abandonaram em uma mata. Sérgio foi morto porque testemunhou a morte de Antonio ”Piveta”, e discutiu com a esposa de Diego Brites no hospital. Na época a mulher estava grávida, ocasião em que o marido foi ameaçado e reagiu dizendo que não havia medo de ameaças.

O advogado Sidnei Sotele foi vítima de homicídio, no dia 07 de maio, em frente a Câmara dos Vereadores em Cacoal. Ele foi alvejado por diversos disparos de armas de fogo calibres .40 e 9mm. As investigações apontaram que Sotele foi morto porque rompeu negociações com a família de Brites. Desde então, passou a perseguir Diego Brites, tentou até matá-lo e foi indiciado por ISS. Havia ameaças mútuas.

Dia 13 de junho, durante um trabalho em conjunto entre a Polícia Judiciária Civil de Cacoal e a Polícia Militar do Estado de Rondônia foram presas quatro pessoas, entre elas Katia Maria da Silva Nascimento, Maycon Anderson da Silva Nascimento, Wellington Mairink e Maurício Souza Genovêz, esse último fugitivo da justiça e vinha praticando vários homicídios em Ji-Paraná, Cacoal e Região.

Armas apreendidas com a quadrilha foram submetidas à realização de perícia criminal e confronto balístico em Porto Velho, cujo laudo apontou que elas foram às mesmas utilizadas nos homicídios de Ministro Andreazza, inclusive na morte de Sidnei Sotele.

As investigações concluíram que estas mortes foram encomendadas por DIEGO BRITES REGO, o qual foi assassinado juntamente com seu irmão, no dia 01 de agosto de 2019. E ontem, foram cumpridas as prisões das pessoas que deram apoio logístico a estes crimes. Sendo que o mandado de prisão de GERVÁSIO LUCAS BRANDÃO ficou em aberto, ele encontra-se foragido da justiça.

A Polícia Judiciária Civil de Rondônia, em operação conjunta com a de Mato Grosso, também prendeu na manhã desta terça-feira, 20, Rogério Favaratto. Ele é um dos suspeitos de envolvimento na morte do advogado Sidnei Sotele. A captura de Rogerio Favaratto foi feita em Comodoro (MT), cidade que fica a 110 km de Vilhena. Ele foi pego de surpresa na casa que havia alugado em Comodoro, onde estava morando com uma mulher e duas crianças. Rogério se entregou sem reação e será transferido para Cacoal, onde o crime que o envolve está sendo investigado.

Below