Connect with us

Hi, what are you looking for?

Destaques

Rondônia aumenta capacidade e entrega cerca de 2 mil resultados de testes para a Covid-19 por dia

Secom

Pensando em dar continuidade ao serviço a longo prazo, zelando pelo bom uso do erário, tal como utilizando da modernidade em proveito da saúde pública, o Governo do Estado, por intermédio do Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), ampliou a capacidade analítica, quanto a quantidade de exames liberados por dia, com a aquisição de dois equipamentos de extração automática de RNA ‘ácido ribonucleico’ , bem como insumos e testes de extração, aproximadamente 20 mil testes. O equipamento de extração de tecnologia de ponta servirá para processar amostras e realizar diagnóstico molecular em especial da Covid-19, inclusive para outros patógenos.

A extração manual continuará no mesmo ritmo, devendo o laboratório obter vantagem com os dois métodos. Com aquisição desses equipamentos, em conjunto com a manutenção da extração manual, levará o Lacen a uma capacidade de 1.823 testagens por dia com processo de amostras para detecção do SARS-COV-2 .

O aparelho atenderá os 52 municípios de Rondônia, sobretudo o município de Humaitá, pertencente ao Estado do Amazonas, região indígena e área de fronteira, não integradas ao Brasil, em Guajará-Mirim.

A benfeitoria se deu, graças ao recurso do Governo de Rondônia e sua preocupação com a população em tempos de pandemia.

De acordo com Ciciléia Correia da Silva, diretora do Lacen, o kit de extração (reação que antecede a amplificação) não extrai apenas o RNA ou DNA da Covid-19, como também outros patógenos. Este kit inicial estava em falta em muitos países, por isso o Ministério da Saúde (MS) não estava conseguindo suprir as necessidades dos estados, fazendo com que o Governo Federal encaminhasse unicamente o kit de amplificação (2ª fase do exame). Segundo ela, sem a parte inicial, que é o kit de extração, era impossível a realização dos diagnósticos.

Pensando nisso, o Lacen resolveu, a partir de abril deste ano, realizar todo o processo para adquirir os kits de extração. Diante disso, o laboratório conta com dois métodos de procedimentos: o manual e o automatizado.

Atualmente o Lacen recebe em torno de 1000 amostras por dia, a depender dos municípios. Com a nova aquisição, o laboratório ganhará mais forças e poderá suprir uma demanda maior, ampliando a testagem por dia.

Para a diretora, utilizar equipamento tecnológico para realização de exames é sempre bem-vinda e mais segura. Ciciléia esclarece que a extração manual é trabalhosa e envolve muitos recursos humanos, tal recurso que está em falta em quase todas as unidades.

Além disso, a diretora comenta que a extração automatizada reduz o manuseio da amostra e aumenta a qualidade da análise. “A extração manual é muito trabalhosa, e por isso, a extração automatizada é um sonho de todo laboratório. Traz economia com recursos humanos e possui mais segurança”, esclarece.

A bióloga do Lacen, Camila Flávia Azzi, atuante na extração dos exames, relata que os dois equipamentos vão possuir uma capacidade de realizar 64 extrações a cada 45 minutos e possui uma placa preparadora com reagentes para fazer o trabalho. “As únicas coisas que temos que fazer são colocar as amostras em cada tubo identificadas na placa, inserir a placa no aparelho, certificando-se da condição que esteja presa, e por fim dar início a execução. O resultado transfere para um microtubo eppendorf (armazenamento com tampa) para o processo de reação”, conta a bióloga, deixando claro, que seu funcionamento é simples e trará celeridade ao processo.

Para a diretora Cicileia Correia, o Lacen tem se tornado referência em exames laboratoriais, se comparado com outros laboratórios de saúde pública nos demais estados. De acordo com ela, é possível visualizar o que Rondônia representa hoje para Brasil, quando falamos em números e tempo de liberação dos exames para Covid-19.

Estados mais avançados não possuem no seu rol de equipamento, os extratores, mas Rondônia já conta com dois. “O Lacen evoluiu muito e cresceu como laboratório, alcançando um patamar que sempre sonhavámos. Desde o início da pandemia, a instituição sofreu uma remodelagem e hoje é conhecida pela sua estrutura e tecnologia de ponta”, afirma.

O equipamento promete celeridade no exame da Covid-19

Para Aline Linhares, assessora técnica, o laboratório não somente se destaca na área epidemiológica, mas também nas áreas sanitária e ambiental (vigilância laboratorial). “É importante para população rondoniense conhecer que hoje possui um instrumento eficaz de atendimento. Toda preocupação do laboratório é visando o interesse na promoção da saúde pública. As ações realizadas por esta instituição estão consoante com a missão do Governo. Não se aplicando apenas na orientação, mas também na agilidade, qualidade e ótima metodologia”, finaliza.

O Lacen saiu de um laboratório pequeno, superando em referência grandes estados. Atualmente no controle do equipamento automatizado, o Laboratório conta com uma equipe especializada em biologia molecular, com título de mestres e doutores.

DIAGNOSTICAR PARA CUIDAR
Na oportunidade, a assessora técnica, Aline Linhares, comentou que o Ministério da Saúde, há pouco tempo, lançou um programa chamado “Diagnosticar para Cuidar”. Tal programa cuja função é estender os critérios de coletas do PCR ‘proteína C-reativa’. Um teste de padrão-ouro que identifica o próprio agente etiológico da doença. Antes, o acesso ao critério de coletas do PCR era restrito a um determinado grupo. De agora em diante, se estendeu a todas pessoas que possuem síndrome gripal, síndrome respiratória aguda, pessoas assintomáticas em população critica, como indígenas, casas de idosos, profissionais da saúde, entre outros.

O objetivo da iniciativa é chegar o mais próximo da testagem em massa. Por essa razão, o Ministério da Saúde disponibilizou ao Lacen diversos materiais de coleta, fazendo com que assim o Estado não fique desabastecido com previsão até dezembro.

Estes materiais serão distribuídos para os municípios de Rondônia, por isso não haverá justificativa de procurar atendimento e não ter. Antes da pandemia, o material de coleta era uma situação crítica, contudo no momento atual conta com estabilidade no fornecimento dos insumos.

Secom

Faça um comentário

Você pode gostar

Brasil

Em 09 de julho de 2020 o senador Randolfe fez uma live com seus heróis médicos, que salvaram muitas vidas no Amapá usando um...

Brasil

    Na minha contínua necessidade de “ler o mundo”, um dos caminhos é a leitura de jornais. Essa “troca de ideias” com pessoas...

Contraponto

[Tendo em vista (i) o impacto dos acontecimentos recentes na França e (ii) a profundidade da análise feita por Theodore Dalrymple, peço licença a...

Mundo

Atualmente, é comum que navegadores de internet como o Google Chrome ou o Safari já venham de fábrica instalados diretamente nos sistemas operacionais. Porém,...