Destaques Especiais Orondoniense

Rondônia é o estado brasileiro que mais registrou crescimento de homicídios contra a mulher

Foto: Daiane Mendonça

Divulgado na segunda – feira (19), pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os dados referentes a seguridade feminina no estado de Rondônia no primeiro semestre de 2020.

De acordo com os números do 14º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, as mulheres no estado não estão protegidas neste período de isolamento social e o percentual aumentou em relação aos diversos tipos de violência contra a mulher.

Os dados referente aos homicídios de mulheres no primeiro semestre de 2020 teve um acréscimo de 254,5% em relação ao ano de 2019. No ano de 2020, 39 mulheres foram assassinadas entre janeiro e junho, no estado. No mesmo período do ano passado, foram 11 vítimas.

Rondônia é o estado brasileiro que mais registrou crescimento de homicídios dolosos com vítimas do sexo feminino. Tocantins, que aparece em segundo lugar, teve um crescimento de 142,9% no primeiro semestre deste ano, que subiu de 7 para 17 mortes.

O anuário indica ainda que Rondônia está entre os 14 estados com crescimento de mortes violentas intencionais acima da média nacional no primeiro semestre (que é de 1,5%).

O Fórum também registou outros casos, como:

Feminicídios

O crime de Feminicídio é classificado quando há uma morte ocorrida por violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher.

Segundo o relatório do Anuário Brasileiro, em Rondônia, no primeiro semestre deste ano ocorreram quatro crimes deste tipo em Rondônia, já no mesmo período do ano em 2019, foram registradas três crimes. Um crescimento de 33,3%

Estupros

Estupro em Rondônia aumentou assombrosamente. No ano de 2019, foram registrados 18 casos, enquanto este ano as ocorrências chegaram a 41 estupros, somente no primeiro semestre. Um crescimento de 127,8% no número de mulheres estupradas no estado.

Lesão corporal contra mulher

Os casos de lesão corporal também tiveram um crescimento assustador. No ano passado, 48 mulheres registraram casos de violência, em 2020, foram apontados 124 vítimas entre os meses de janeiro a junho. Um aumento de 158% de vítimas de violência entre as mulheres.

Violência doméstica

De acordo com o anuário, o número de ligações realizadas para o 190 com denúncias de violência doméstica, houve um crescimento de 138%.

No ano de 2019, foram feitas 181 ligações de denúncias, entre  janeiro a junho. Em 2020, foram apontadas 431 ligações.

Ameaças contra mulheres

As ameaças contra as mulheres também teve um acréscimo nos registros do anuário. Segundo os dados, um aumento de 124% em relação ao ano anterior.

Em 2020, foram 1.599 vítimas ameaçadas entre janeiro e junho de 2020. No mesmo período do ano passado eram 713.

Apesar de ser uma das medidas mundialmente recomendada, o isolamento social deixou vulnerável diversas mulheres, muitas já vítimas de violência doméstica e com o distanciamento a tensão dobrou em época de quarentena, uma vez que a vítima  fica mais tempo com o companheiro, que costuma ser o agressor.

Para o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a pandemia evidenciou a necessidade da elaboração de políticas de segurança para as mulheres considerando os mais diferentes tipos de opressão e desigualdade às quais estão sujeitas.

*Informações iniciais do G1