Amazônia Brasil Saúde

Secretaria de Saúde do Acre confirma três primeiros casos de novo coronavírus no estado

Casos são de Rio Branco, sendo que um foi diagnosticado em rede particular e dois no pronto-socorro da capital.

A Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) confirmou, nesta terça-feira (17), os três primeiros casos do novo coronavírus (Covid-19) no estado do Acre. A informação foi confirmada nesta terça em coletiva junto com o governador Gladson Cameli.

O secretário de Saúde, Alysson Bestene, disse que os casos são de um homem de 30 anos e uma mulher de 50, que chegaram de São Paulo, e outra de 37 anos, que estava em Fortaleza. Após a confirmação em laboratório regional, o Estado aguarda a contraprova.

“Estamos aguardando a reposta, a contraprova, que encaminhamos para o instituto de referência do país. É lá que vai ter a confirmação definitiva”, disse.

Todos os pacientes estão com sintomas leves e estão sendo acompanhados pela Vigilância Epidemiológica, tomando providencia para esses casos.

Um dos pacientes procurou a rede particular de saúde e outros dois foram no pronto-socorro de Rio Branco. Os primeiros casos descartados no estado foram no último dia 10.

As confirmações ocorreram no mesmo dia em que o governador Gladson Cameli declarou, no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (17), situação de emergência devido à pandemia de Covid-19.

O decreto 5.465, válido por 30 dias e podendo ser prorrogado, aponta ainda que as recomendações valem até que a emergência em saúde prevaleça, assim como determinou o Ministério da Saúde.

‘Vou parar tudo’

“Vou parar tudo. Vou priorizar a saúde”, disse o governador do Acre ao afirmar que não perderia mais tempo e que tomaria medidas mais rígidas para o controle da doença no estado. A recomendação é que as pessoas evitem locais aglomerados, como shopping, academia e outros. Shows também serão cancelados, segundo o governo.

“Não vou esperar confirmação de contraprova para tomarmos as medidas cabíveis. É uma situação grave que a gente precisa do apoio da sociedade. Quero pedir que a população utilize da rede pública extremamente em casos de sintomas e de uma necessidade mesmo, porque a pandemia é uma situação que a gente tem que poupar também os profissionais e a rede pública de saúde”, pontuou.

Todos eventos e agendas governamentais foram cancelados. Ao todo, são 58 leitos da UTI, 48 em Rio Branco e 10 no interior do estado. “Tudo que o estado vai necessitar, a Sesacre está providenciando pelos meios jurídicos”, garantiu.

Visitas em presídios suspensas

Para manter o controle dentro das unidades penitenciárias do estado, Cameli determinou que o Instituto de Administração Penitenciária do Estado e do Instituto Socioeducativo do Estado (Iapen-AC e ISE-AC) suspendessem as visitas sociais por 15 dias.

Para os advogados, o período de suspensão é de cinco dias, “salvo necessidades urgentes ou que envolvam prazos processuais não suspensos”.

As escoltas também seguem suspensas por 15 dias, mas com “exceção de requisições judiciais, inclusões emergenciais e daquelas que por sua natureza, precisam ser realizadas”, determina o decreto.

Sem eventos grandes

Os servidores da Saúde e Segurança também estão proibidos de tirar férias e licenças durante este período. Também ficam proibidos eventos com o público maior do que 100 pessoas. Já os eventos esportivos, se não forem suspensos, devem ocorrer sem a participação de público ou torcida.

As viagens de servidores também foram suspensas.

“Fica autorizada a realização de despesas, inclusive com dispensa de licitação, para a contratação de profissionais e pessoas jurídicas da área da saúde, aquisição de medicamentos, leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e outros insumos, observadas as disposições legais aplicáveis”, estipula.

Além disso, o governo deve emitir um boletim informativo, por meio da Secretaria de Saúde (Sesacre), atualizando a situação de emergência decorrente do coronavírus. As informações vão constar no site do governo.

O decreto finaliza criando um Comitê de Acompanhamento Especial do Covid-19 que vai propor, acompanhar e avaliar as ações e os resultados das determinações.

Pandemia

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quarta (11) a pandemia de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Para o ministro da Saúde do Brasil, Luiz Henrique Mandetta, houve “demora da OMS” para fazer a declaração, já que o número de casos fora da China aumentou 13 vezes nas últimas duas semanas e o número de países afetados triplicou.

O Ministério da Saúde divulgou, nesta segunda (16), um novo balanço dos casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil: são 234 casos. Além disso, o balanço tem os seguintes destaques:

  • 234 casos confirmados, eram 200 no domingo
  • 2.064 casos suspeitos
  • 1.624 casos descartados
  • 26 casos de transmissão comunitária (DF, SP e Rio)
  • 18 pessoas estão hospitalizadas (7% do total)
  • São 152 casos confirmados em São Paulo e 31 no Rio de Janeiro. Ao todo, 15 estados e o Distrito Federal têm casos confirmados. Atualmente, a idade média dos infectados é de 40 anos.

Fonte: G1