Destaques

Secretário nega falta de EPI’s no Hospital de Base e servidor rebate enviando áudio

Denúncia feita por  uma servidora, que não quis se identificar, afirmou que testou positivo para Covid – 19 por falta de equipamentos de proteção individual (EPI) e pelo não cumprimento de protocolos, o que resultou contaminação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o Hospital de Base Ary Pinheiro.

Após a denuncia fundamentada no portal G1, o secretário Fernando Máximo negou as informações dadas pela servidora do HB, inclusive, culpabilizando profissionais da área de saúde (abaixo).

COMPROVAÇÕES EM ÁUDIO

Na manhã desta sexta – feira (08), um outro servidor do Hospital de Base, que pediu que para sua identidade fosse preservada, confirmou que o Governo do Estado de Saúde não está repassando os equipamentos de EPI conforme é informado para a população.

No áudio abaixo, o servidor diz:

“[…]Governo do Estado sempre diz né que comprou o IPI do suficiente e que não faltam EPI’s pra que os servidores façam o seu serviço, para que atenda a população. Bem, não é bem assim, pelo menos nós aqui não estamos sentindo isso. Para ter acesso aos EPI’s aqui no Hospital de Base só é possível se a equipe de enfermagem que for atender um determinado paciente tiver a confirmação que aquele paciente tem ou é suspeito de ter COVID – 19 […]”
“[…] É que às vezes o paciente chega aqui é atendido pela equipe sem proteção necessária e depois descobre-se que este paciente estava infectado. Esse é um dos problemas, o acesso aos EPI’s que está sendo dificultada pela direção do Hospital de Base, na liberação. O secretário disse que comprou kits suficientes, mas esses kits não estão chegando. Está sendo bem dificultoso para conseguir.

O que disse a Sesau

O secretário estadual de saúde, Fernando Máximo, negou a falta de equipamentos de proteção e disse que tem conhecimento de que há profissionais que não usam os EPI’s, responsabilizando os servidores.

“Vários colegas, especialmente da área da enfermagem, mandam mensagem falando que o colega do lado não está usando EPI. Isso acontece na construção civil, vira e mexe a gente vai ver um pedreiro ali, um servente sem capacete, sem a corda amarrada, e isso acontece em todas as áreas. Infelizmente tem gente que apesar das recomendações, das orientações e da disponibilização dos equipamentos, [não usa os equipamentos]”.

SERVIDORES POSSUEM DIFICULDADE EM REALIZAÇÃO DE TESTES PARA COVID -19

O servidor ainda fala que o Governo dificulta a realização de exames para testar Covid – 19 em servidores do Hospital de Base.

Outro ponto é em relação aos exames. Quando os funcionários têm contato com pacientes que foram positivados ou que são suspeitos, os profissionais da enfermagem, só conseguem fazer o exame depois que o profissional apresentou dois ou mais sintomas […] imagine alguns, como já sabemos, são assintomáticos, logo eles não vão apresentar nenhum sintoma. Então não pode testar [o exame]? Esse profissional volta para a casa dele e acaba infectando direta ou indiretamente outras pessoas[…] então isso está deixando muitos servidores apreensivos […]”
“[…] A dificuldade de fazer os testes é muito grande, de ter acesso. Isso está fazendo um mal psicológico muito grande para os servidores do Hospital de Base. O que a gente pede não é nada, além do que é o mínimo, para que se siga trabalhando na linha de frente dessa guerra: EPI’s para atender os pacientes[…] dessa forma fica todo mundo mais seguro; e que os testes sejam facilitados para os servidores[…]”

Conselho diz estar averiguando

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren), afirma que muitas denúncias chegam ao Conselho, tanto da capital quanto do interior do estado, e que todas elas têm sido averiguadas. Segundo o órgão, entre as denúncias que procedem está a de falta de EPI, ou EPI sem qualidade.

“O maior problema que a gente verifica é a falta de máscaras N95 ou uso de máscara caseira de tecido. Na maioria das vezes, essas máscaras não têm a proteção necessária mínima. Foi constatado em dois, três municípios que forneceram equipamento que não tem serventia nem para o profissional nem para a população”, fala o primeiro secretário do Coren, Regis Georg.

O primeiro secretário ainda orienta os profissionais, em caso de falta de equipamentos de proteção adequados.

“Neste caso, está sendo orientado ao profissional a não assumir o plantão, registrar o boletim de ocorrência porque é uma responsabilidade do estado e dos municípios fornecer esses EPIs”, comenta.

SERVIDORES COM COVID – 19 SÓ AUMENTAM

No dia 02 de maio, em uma coletiva de imprensa com o Secretário Fernando Máximo, fora informado que o número de profissionais da saúde infectados com o novo coronavírus tinha atingido o quantitativo de 221 servidores.

No dia 05 de maio, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), confirmou a morte de um servidor da área da saúde, lotado no Hospital de Base. Evandro do Nascimento Mendonça, morreu por Covid – 19, e a suspeita é que o servidor tenha contraído a doença no próprio hospital.

No mesmo dia, servidores do HB, prestaram homenagem ao corpo do servidor que morreu devido ao coronavírus.