Orondoniense

Senadores manifestam solidariedade pelos mais de 50 mil mortos por covid-19

No sábado (20), o Brasil atingiu a marca de mais de 50 mil mortes em decorrência da covid-19, e mais de 1 milhão de pessoas contraíram a doença no país. Pelas redes sociais, senadores repercutiram os números e se solidarizaram com as famílias brasileiras.

“Infelizmente perdemos mais de 600 vidas hoje [sábado] para a covid-19. Já passamos de 1 milhão de casos. A dor é inestimável! Não podemos normalizar essa tragédia. Toda minha solidariedade às famílias e a todos que estão enfrentando, de alguma forma, a covid-19”, afirmou o líder da minoria, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), pelo Twitter.

As manifestações de solidariedade também foram reforçadas pela senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) e pelo senador Fabiano Contararo (Rede-ES).

“É muito triste ver o Brasil ultrapassar 50 mil mortes pelo novo coronavírus. A perda de alguém é sempre um momento difícil, delicado. Peço, incessantemente, a Deus conforto a todas as famílias neste luto. Minhas orações e o meu coração estão com vocês!”, disse o senador pelo Twitter.

Os dados divulgados no sábado foram aferidos pelo consórcio jornalístico integrado por Folha de S. Paulo, G1, O Globo, Extra, Estadão e UOL com as secretarias de Saúde estaduais e confirmados, no domingo, pelo Ministério da Saúde. O Brasil já é o segundo país a registrar o maior número de casos da doença, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Para o líder do MDB, senador Eduardo Braga (AM), a letalidade do vírus precisa ser encarada com mais seriedade pelos gestores públicos.

“Mais de 50 mil mortes. Quantas marcas trágicas ainda teremos que alcançar para que essa pandemia seja de fato tratada com a seriedade necessária? Quantas mortes a mais para que todos se convençam do risco de contágio e para que tenhamos uma gestão responsável desse tsunami sanitário?”, questionou pelo Twitter.

De acordo com o líder do PT, senador Rogério Carvalho (SE), a situação no país foi agravada porque o presidente Jair Bolsonaro ignorou os riscos de contágio e a gravidade da doença.

“Não são números, são nomes, são histórias, são momentos. Estamos falando de vidas que foram perdidas. São mortes anunciadas pela ciência e que poderiam ser evitadas, mas foram ignoradas pelo presidente da República. Solidariedade à nação brasileira!”, disse em suas redes sociais.

A mesma opinião foi compartilhada pelo senador Humberto Costa (PT-PE), que alertou sobre a possibilidade de subnotificações da doença no Brasil.

“Mais de 50 mil mortes pelo coronavírus. A suspeita de outras 21 mil subnoticadas. Estamos vivendo uma tragédia nacional em larga escala, fruto da política genocida do governo de Jair Bolsonaro”, afirmou.

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) alertou para a gravidade da pandemia ao comparar os índices provocados pelo novo coronavírus a outras doenças que registram altos números de mortes no país, como a dengue e o vírus H1N1.

“Meus sentimentos às mais de 50 mil vítimas da covid-19. Que Deus conforte as famílias e que tenha piedade de nós. Minha caneta de parlamentar é limitada, mas estou fazendo absolutamente tudo o que está ao meu alcance. Esse número não se compara com nenhum índice H1N1, dengue etc. Levemos isso a sério!” pediu a senadora pelo Twitter.

Prevenção

Apesar do crescente número de casos e mortes, muitas cidades estão flexibilizando as regras de isolamento social adotadas desde o início da pandemia. Pelas redes sociais, senadores também alertaram para a importância da quarentena e dos cuidados de higiene e distanciamento social como formas de reduzir os riscos de contágio e assim minimizar também o impacto sobre os leitos dos hospitais.

“Eu mesmo já perdi pessoa querida por culpa desse vírus e reforço o discurso de que devemos não só temer, não só nos precaver, mas tomar parte como seres ativos na prevenção do contágio. Essa é a única maneira de reduzir as mortes, desafogar os hospitais e honrar a vida dos que infelizmente já se foram. Estamos todos de luto. Uns apenas não perceberam isso ainda”, lembrou o senador Wellington Fagundes (PL-MT) em seu perfil no Instagram.

O alerta para que a população redobre os cuidados também foi reforçado pelo líder do PDT, senador Weverton (MA).

“O Brasil ultrapassou hoje a triste marca de 50 mil vidas perdidas. Já são mais de um milhão de contaminados. Solidariedade a todas as famílias. E vamos continuar levando a sério os cuidados para não deixar que a pandemia de coronavírus avance mais”, afirmou.

Fonte: Agência Senado