Justiça Justiça

Servidora acusada de desviar quase meio milhão do Iperon, é alvo de operação policial

Above

A Delegacia Especializada na Repressão a Crimes Funcionais da Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (24), mandado de busca na residência de servidora pública do IPERON suspeita de ter cometido crimes de peculato, inserção de dados falsos em sistemas e associação criminosa.

Segundo informações apuradas junto a investigação, presididas pelo Delegado Nestor Romanzini titular da especializada, Rosana G. Z e outros investigados teria cometido os crimes citados mediante prévia associação criminosa e mantido com um empresário pensionista e o filho deste.

A polícia estima que entre os meses de setembro de 2017 e julho de 2019 foram inseridos dados pela servidora Rosana no sistema “Governa”, utilizado também pelo IPERON, possibilitando pagamentos indevidos de diferenças de pensão, diferenças de aposentadoria fictícia, proventos indevidos de aposentadoria fictícia de perito criminal para o pensionista e empresário Hilton.  Para o empresário foi criada uma matricula matrícula falsa como sendo ele aposentado na qualidade de perito criminal, efetivando-se pagamentos indevidos em montante aproximado de R$ 400.000,00.

Todos os valores pagos indevidamente na conta do empresário eram divididos entre o filho dele e a própria funcionária, conforme já confirmado nos autos do Inquérito Policial. Consta que o Delegado titular da DERCF teria representado pela prisão preventiva, buscas domiciliares, quebra de sigilo bancário e bloqueio de valores nas contas dos suspeitos.

Below