Connect with us

Hi, what are you looking for?

Interior

Servidora do Detran é presa acusada de pedir dinheiro para liberar veículos

Uma ação da Polícia Civil, deflagrada na manhã desta terça-feira (24), cumpriu mandados judiciais na Ciretran de Vilhena. Uma servidora do setor de infrações foi presa.

O delegado regional Fabio Campos esclareceu ação, que acabou com a prisão preventiva de uma servidora do órgão, que apesar de ser a única que ocupava cargo comissionado, através de indicação política, era chefe do setor “delicado”, que é o de Infrações e Penalidades.

As investigações que duraram cerca de três meses e correram sob segredo de justiça, levantou a prática de corrupção passiva por parte da servidora, que foi denunciada por cobrar taxas de pequenos valores para a agilização das liberações de veículos ou documentos.

O delegado deixou claro que as investigações não são pertinentes ao sistema do Ciretran, uma vez que não havia irregularidades nas liberações, apenas a cobrança de propina por parte da acusada para a agilização dos processos. O delegado também revelou que que a chefia e a corregedoria do órgão já vinham abrindo processos administrativos contra a denunciada, a fim de exonerá-la, mas não obteve êxito.

Porém, após denúncias de usuários dos serviços do órgão, foi possível realizar a acusação formalmente na Polícia Civil, para que a prática fosse estancada de uma vez por todas.

Por fim, Fábio exaltou a participação da população, que não se calou diante das cobranças de propina e denunciaram a servidora na chefia do órgão, que participou ativamente das investigações através do fornecimento de informações e documentos a fim de dar fim ao esquema fraudulento.

A servidora comissionada da Ciretran de Vilhena, presa pela Polícia Civil tem 34 anos e trabalhava na autarquia desde o ano passado. Ela foi investigada após donos de veículos apreendidos e com pendência documentais denunciarem o caso na Polícia.

Além de dificultar algumas liberações, a acusada facilitava outras, e chegou a autorizar que veículos irregulares circulassem pela cidade. As propinas exigidas por ela, no entanto, eram de baixos valores, em média R$ 350,00.

A Polícia pede a outras pessoas que tenham sido extorquidas pela acusada, que também ocupou cargo comissionado na prefeitura de Vilhena em 2017, para se apresentarem e confirmarem detalhes do crime, colaborando com a investigação.

Folha Sul Online

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

O avanço da covid-19 mantém Rondônia ainda em situação crítica para doença e a população precisa ficar atenta às restrições implementadas pelo Governo de...