Destaques Rondônia

Sindsaúde notifica Sesau por falta de EPI’s aos profissionais da saúde

No início deste mês, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado de Rondônia (SINDSAÚDE), notificou a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU) pela falta de EPI’s aos servidores da saúde que estão na linha de frente no combate a pandemia do novo coronavírus.
De acordo com a presidente do SINDSAÚDE, Célia Campos, a SESAU não respondeu e não atendeu as reivindicações e a notificação. Com isso, o sindicato reiterou os termos dos Ofícios à secretaria de saúde, encaminhando também cópia do documento ao Ministério Público do Estado, Ministério Público do Trabalho, além da comissão de saúde do Tribunal de Contas do Estado e conselho Estadual de Saúde.
“Isso surtiu efeito e conseguimos reunião online, na última sexta-feira (24), com a procuradora do MPT, Dra. Camilla Holanda Mendes da Rocha, juntamente com outros lideres sindicais da saúde. Expomos à Dra. Camilla, a nossa indignação quanto a falta de prioridade no encaminhamento dos profissionais de saúde e de seus familiares que necessitam fazer exames para COVID-19 e a falta de EPI’s (máscaras N95, máscaras protetoras faciais e aventais em TNT de 50 a 100) aos servidores que trabalham incansavelmente no enfrentamento do novo coronavírus”. Complementou Célia Campos.”
Na oportunidade Dra. Camilla comunicou a todos que o MPT em parceria com a Organização Pan- Americana de Saúde-OPAS, adquiriu 6.000 (seis mil) kits testes que serão destinados os servidores da saúde e segurança pública e, em parceria com várias entidades a confecção de máscaras que serão doadas aos servidores.
Após a reunião, a promotora pediu que semanalmente fosse enviado um relatório informando a real situação dos profissionais da saúde. Esse documento deve conter informações como: fluxograma de atendimento dos profissionais e seus familiares; acompanhamento psicológico (call center); entrega de EPIs que sejam apropriados para atendimento a paciente com o novo coronavírus; exames e afastamento dos servidores, caso necessário, dentre outros assuntos.
“Mesmo com a nossa Sede Administrativa fechada, devido ao Decreto de Calamidade Pública, o SINDSAÚDE por meio de seus diretores, trabalham em defesa de todos os profissionais da saúde. Estamos acompanhando o que está acontecendo nas unidades de saúde não só da capital, como do interior de Rondônia.”  Concluiu a presidente.
Assessoria