Brasil politica

Sobe para 16 o total de pessoas que estiveram com Bolsonaro nos EUA e têm coronavírus

Deputado Daniel Freitas (PSL-SC) teve um primeiro teste negativo, mas a contraprova resultou positivo. Ele permanece em Brasília, está assintomático e em isolamento.

Chegou a 16 nesta quarta-feira (18) o número de pessoas que participaram da viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos na semana passada e agora estão com o coronavírus.

Nesta terça, o exame de contraprova realizado pelo deputado federal Daniel Freitas (PSL-SC) resultou positivo. Na última quinta-feira (12), ele havia feito um teste que deu negativo.

Segundo a assessoria, Freitas está assintomático, mas se mantém em isolamento em Brasília nos últimos dias. A assessoria informou que, nos Estados Unidos, Freitas teve contato com o secretário de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, o primeiro a ter constatada contaminação pelo coronavírus.

Os 16 contaminados que integraram ou tiveram contato com a comitiva de Bolsonaro nos EUA são os seguintes:

  • Daniel Freitas, deputado federal
  • Flavio Roscoe, presidente da Federação das Indústria do Estado de Minas Gerais (Fiemg)
  • Marcos Troyjo, secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia
  • Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI)
  • Fabio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência da República
  • Nelsinho Trad (PSD-MS), senador
  • Nestor Forster, encarregado de negócios do Brasil nos Estados Unidos
  • Samy Liberman, secretário Especial Adjunto de Comunicação Social da Presidência
  • Francis Suarez, prefeito de Miami
  • Sérgio Lima, publicitário que trabalha com a família Bolsonaro na criação do partido Aliança pelo Brasil
  • Karina Kufa, advogada de Jair Bolsonaro
  • Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional
  • quatro integrantes da equipe de apoio da comitiva

Bolsonaro sem vírus

O teste de Jair Bolsonaro deu negativo, mas o Ministério da Saúde recomendou que o exame seja refeito na próxima semana. Enquanto isso, a recomendação é para que Bolsonaro siga em “monitoramento”.

Neste domingo, Bolsonaro quebrou a recomendação de cautela e participou de um ato a favor do governo e com críticas ao Judiciário e ao Legislativo. Ele chegou a apertar a mão de apoiadores em frente ao Palácio do Planalto.

Fonte: G1