Mundo

Sobem para 44 novos casos de coronavírus a bordo de cruzeiro no Japão

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão afirmou que outros 44 casos de infecção pelo coronavírus foram confirmados a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess.

Inclui-se um tripulante. Vinte nove infectados são japoneses.

O aumento no total de passageiros e tripulantes infectados pelo vírus chega a 218.

Atualmente, a embarcação encontra-se sob quarentena, atracada no porto de Yokohama, nas proximidades de Tóquio.

Idosos

O governo do Japão decidiu permitir que algumas pessoas a bordo do cruzeiro Diamond Princess, afetado pelo surto de coronavírus, desembarquem na sexta-feira (14). Entre essas pessoas estão idosos que possuem problemas crônicos de saúde.

Cerca de 3.500 pessoas  estão confinadas na embarcação. O Ministério da Saúde tem pedido que passageiros permaneçam em suas cabines até a próxima quarta-feira (19), período que marca o fim de uma quarentena de duas semanas imposta após a confirmação do primeiro caso.

Como há preocupação de que a saúde de alguns passageiros esteja se deteriorando, o ministério decidiu na quinta-feira (13) permitir que o desembarque de alguns deles.

Funcionários da pasta informam que pessoas de 80 anos ou mais com problemas crônicos de saúde, e aquelas em cabines sem janelas, terão prioridade.

As autoridades dizem que aqueles que preencherem os requisitos e que desejarem desembarcar, terão permissão para fazê-lo amanhã, caso testem negativo para o vírus. Após deixar o navio, eles serão transferidos para instalações designadas pelo governo.

O total de mortos sobe para 1.310 em Hubei

O número de mortos na província chinesa de Hubei, centro da epidemia do novo coronavírus, aumentou em 242 nas últimas 24 horas e mais do que duplicou relativamente ao dia anterior.

A Comissão Provincial de Saúde de Hubei (centro do país) disse hoje (13) que o total de mortos na província é agora de 1.310.

O número de mortos nas últimas 24 horas em Hubei ultrapassa o anterior recorde de mortes ocorrido em 10 de fevereiro (103 mortes).

A Comissão Provincial de Saúde informou que o aumento do total de casos é devido a uma nova definição mais ampla de infecção.

Nas últimas 24 horas, até o fim da quarta-feira, as autoridades registraram mais 14.840 novos casos da infeção em Hubei, cuja capital é Wuhan.

Os novos casos e mortes fazem com que o novo balanço na China seja de 1.350 mortes e 60 mil infecções.

Uma radiografia do tórax dos casos suspeitos pode ser considerada suficiente para diagnosticar o vírus, em vez de testes de ácido nucleico, disseram as autoridades de saúde.

Das 242 mortes em Wuhan, 135 foram diagnosticados segundo a nova metodologia, que torna possível fornecer um tratamento aos pacientes “o mais rapidamente possível” e “ser consistente” com a classificação usada nas outras províncias chinesas, explicou a Comissão Provincial de Saúde.

Dos 18.840 novos casos, 13.332 foram diagnosticados segundo os novos critérios.

 

Por RTP (emissora pública de televisão de Portugal) – Pequim