politica

STF decide que é inconstitucional proibir doação de sangue por homens gays

Julgamento começou em 2017 e terminou nesta sexta, com placar de 7 a 4 pela inconstitucionalidade da regra que proíbe a doação

Por 7 votos a 4, o Supremo Tribunal Federal considerou nesta sexta (08/05) que é inconstitucional a proibição de que homens que fazem sexo com homens doem sangue. O julgamento se arrastava desde 2017 e foi concluído com três votos nesta sexta: Dias Toffoli e Cármen Lúcia votaram pela inconstitucionalidade e Celso de Mello discordou, se juntando a Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Alexandre de Moraes.

Lista de votos de ministros do STF sobre doação de sangue por homens que fazem sexo com homens

O Ministério da Saúde veta, desde 2016, o ato de solidariedade a homens que tiveram relações sexuais com pessoas do mesmo sexo nos 12 meses anteriores.

O julgamento sobre a doação de sangue foi interrompido em 2017, com os votos de cinco ministros. O relator do caso, ministro Edson Fachin, votou contra a proibição. Ele foi seguido por Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux. Único a divergir, até o momento, Alexandre de Moraes votou pela procedência parcial da ação.

O resultado está sendo comemorado por representantes dos movimentos

A ação foi movida pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), que alega agressão à dignidade da pessoa humana e o direito fundamental à igualdade, além da estigmatização dos homossexuais.

Metrópole