Connect with us

Hi, what are you looking for?

Destaques

Suspensa convocação militar de médicos que atuam no combate à covid-19 em hospitais de Rondônia

Está suspensa a convocação de alistamento militar dos médicos que atuam no combate e enfrentamento da pandemia da covid-19 em Rondônia. A decisão da Justiça Federal levou em consideração a manifestação do Ministério Público Federal e atendeu aos pedidos do estado de Rondônia para que os médicos permaneçam no atendimento aos pacientes com covid-19 nos hospitais da rede pública rondoniense. O comandante da 12ª Região Militar será intimado a cumprir a decisão.

A decisão aponta que a defesa da saúde é responsabilidade de todos e que nenhum ente federativo do Poder Público, em qualquer esfera, pode se mostrar indiferente ao problema de saúde da população. Além disso, a decisão expõe que o adiamento do início da prestação do serviço militar não trará prejuízo para a União, pois receberá profissionais mais qualificados depois, beneficiando as Forças Armadas.

Já a ausência de médicos neste momento de pandemia poderá colapsar ainda mais o sistema de saúde de Rondônia. O estado está no estágio mais grave desde o início da pandemia, transferindo pacientes para UTIs de outros estados porque os hospitais públicos não têm mais leitos disponíveis. Os médicos convocados para o serviço militar foram capacitados para o atendimento à covid-19 e a saída desses profissionais causaria sérios impactos na assistência das unidades de saúde Hospital de Campanha de Rondônia, Hospital João Paulo II, Hospital de Campanha da Zona Leste e Complexo Regional de Cacoal.

“Neste cenário de incerteza quanto a estabilização da pandemia, especialmente porque não existe previsão de vacinação para toda a população, não restam dúvidas de que, em que pese a previsão do serviço militar obrigatório, não é razoável, tampouco proporcional, a convocação dos profissionais da medicina”, afirmou a juíza federal Grace Anny de Souza Monteiro, na decisão.

A escassez de médicos fez com que o governo de Rondônia criasse uma verba indenizatória de até cinco mil reais para os médicos que atuarem em locais que atendam pacientes com a covid-19 (Lei n° 4.954/21). O grande número de convocações de médicos para o preenchimento de vagas na rede pública de saúde (mais de 50 convocações) não está sendo suficiente.

MPF

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

O avanço da covid-19 mantém Rondônia ainda em situação crítica para doença e a população precisa ficar atenta às restrições implementadas pelo Governo de...