Capital Destaques

SEM MÉDICOS – Falta de atendimento e descaso com a população lota unidades de saúde

Above

Não é de hoje que as reclamações e denúncias do pouco caso que ocorre nas Unidades de Pronto Atendimento – Upas da zona Sul e zona Leste – em Porto Velho chegam na prefeitura através da imprensa ou mesmo pela reação intempestiva de pacientes e parentes que ameaçam quebrar o local ou fazem protesto aos berros na sala de espera e corredores de alguma dessas unidades.

No domingo (01) duas denúncias de falta de médicos para atender foram checadas pelo gabinete do vereador Aleks Palitot, que disponibilizou a força tarefa de seu gabinete para verificar in loco.

Na UPA Sul, localizada na Avenida  Jatuarana, Bairro Cohab, não houve atendimento e muita gente que procurou aquela unidade em busca de socorro ou ajuda acabou descobrindo que não havia médico para prestar atendimento. Para piorar somente casos de extrema urgência.

O mesmo ocorreu na Policlínica Dra. Ana Adelaide, localizada no Bairro Pedrinhas, zona Norte de Porto Velho. Onde só havia dois médicos para atender enquanto o correto é ter cinco profissionais para atender a demanda, por conta disso o atendimento não existiu.

Esses dois casos isolados acabou causando surpresa até ao vereador Aleks Palitot, que na sessão da Câmara Municipal de Vereadores dessa segunda-feira (02) não poupou críticas a administração e exigiu providências para regularizar a situação nessas unidades de saúde, que são responsáveis para atender uma demanda de duas grandes regiões periféricas da Capital.

ABSURDO

Alessandra da Silva chegou às 07h15 nessa segunda-feira (02) na UPA Sul, conduzindo a sua mãe para uma consulta a respeito de um mal estar que havia dito, assim como ela outras pessoas também se dirigiram a Unidade de Saúde em busca de atendimento, esperando que tudo estivesse normalizado.

Em contato com a reportagem, Alessandra disse que depois do meio-dia, com a unidade lotada, a direção chamou a atenção de todos para avisar que não haveria mais atendimento e que só atenderiam situações de urgência grave, o que acabou provocando reclamações das pessoas que, como ela, estava há mais de cinco horas aguardando a consulta.

SEM EXPLICAÇÃO?

Nos últimos meses a Prefeitura de Porto Velho perdeu diversos profissionais da área de saúde, entre técnico e enfermeiros, incluindo a saída de 39 médicos da rede municipal. O reflexo está justo na deficiência dos atendimentos nas unidades de saúde mais críticas, onde existem a maior incidência de pacientes e pessoas que procuram consultas.

Em contato com a assessoria da prefeitura, sobre a falta de médicos tanto na UPA Sul quanto na Policlínica Dra. Ana Adelaide, a resposta não esclarece nada, porém deixa o aviso de que está prevista a contratação de mais de 40 médicos para regularizar o atendimento na capital, conforme anúncio do prefeito Hildon Chaves.

Lembrando que a Prefeitura já publicou no Diário Oficial do Município o edital para contratação emergencial de profissionais na área da saúde, com designíos para contratar médicos, enfermeiros, odontólogos (para a zona rural), terapeutas ocupacionais, técnicos em enfermagem e agentes comunitários de saúde.

O Rondoniense (Marcos Souza)

Below