Capital Cultura Destaques

TERCEIRA VEZ – Escolas de samba não recebem repasse da Prefeitura para realizar desfile

Pela terceira vez, Porto Velho não terá a apresentação dos desfiles de escolas de samba durante o Carnaval. A informação foi divulgada pela Federação das Escolas de Samba e Entidades Carnavalescas de Rondônia (Fesec), nesta quarta-feira (12).

Em nota ao Portal G1, a Prefeitura de Porto Velho informou que a medida foi tomada para evitar um “desequilíbrio financeiro nas contas do município”. Pois o foco da administração é investir nas áreas da educação, saúde e infraestrutura da capital. O prefeito Hildon Chaves acrescentou que “tem carinho e respeito por todos os carnavalescos, mas no momento ainda não tem como disponibilizar os recursos”.

Porém, segundo a nota da FESEC, há disponível uma verba através de economia pela Câmara dos Vereadores, que foi decidido em votação a destinação deste recurso à cultura dentre os vários segmentos, dentre elas, as Escolas de Samba.

A Presidência da Fesec, em nota, expõe que mais uma vez a prefeitura de Porto Velho, através do seu principal gestor, prefeito Hildon Chaves, não consultou os dirigentes das escolas e decidiu negar o repasse financeiro que seria investido no desfile das Escolas de Samba, sendo que já estava previsto no calendário municipal o desfile das Escolas de Samba, inviabilizando assim, o evento que estava marcado para o dia 29 de fevereiro.

Segundo o Presidente da Federação, Reginaldo Cardoso, conhecido como Makumbinha, a falta de repasse financeiro inviabiliza o desfile. Makumbinha comenta que por mais que agremiações realizem ações durante todo o ano para a arrecadação de verbas, ainda necessita do apoio do Poder Público para a apresentação na avenida, pois os custos para as confecções de fantasias, alegorias e demais itens são altos. ” O que as escolas arrecadam durante o ano não é suficiente pra colocar o desfile das escolas na avenida. O poder público entra com a outra parte. É assim em todo o Brasil”, explica.

A Fesec, em nota ainda diz que foi comunicada faltando 15 dias do evento, e que sente a falta de esforços do executivo municipal para investimento na cultura, sendo que nos anos de 2017, 2019 e 2020, os argumentos da retirada de verba reservada à cultura foram para resolver o problema da administrativos da Saúde, Educação e Estrutura, sendo que cada pasta já possui seus próprios orçamentos.

NOTA DE REPÚDIO E ESCLARECIMENTO AO PÚBLICOA Federação das Escolas de Samba e Entidades Carnavalescas de Rondônia –…

Publicado por FESEC em Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020