Connect with us

Hi, what are you looking for?

Mundo

Tiroteio no Afeganistão mata 27 pessoas e deixa 55 feridos

Cerca de 27 pessoas morreram e 55 ficaram feridas durante tiroteio hoje (06/03) num encontro em Cabul, capital do Afeganistão, que contou com a presença de Abdullah Abdullah, chefe do governo afegão, a autoria do crime é desconhecida e outras autoridades que não ficaram feridas.

“Após o ataque, o serviço de ambulâncias de Cabul transportou 27 mortos e 55 feridos para os nossos hospitais”, disse o porta-voz do Ministério da Saúde Pública, Wahidullah Mayar.

O tiroteio  começou quando o presidente do Conselho Superior da Paz, Karim Khalili, fez um discurso por ocasião do aniversário da morte do líder da comunidade xiita hazara Abdul Ali Mazari, disse o Ministério do Interior do Afeganistão.

“Todas as autoridades de alto nível foram retiradas com segurança do local do ataque”, explicou Marwa Amini, porta-voz do Ministério do Interior.

Um porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, rejeitou a autoria do ataque na rede social Twitter.

“O ataque no encontro em Cabul não tem nada relacionado com os combatentes do Emirado Islâmico” (como os talibãs se autodenominam), salientou Mujahid.

No ano passado, também durante um evento para o aniversário da morte de Mazari em que Abdullah estava presente, pelo menos onze pessoas morreram e outras 95 ficaram feridas num ataque com morteiros, reivindicado pelo Estado Islâmico.

 

Governo condena ataque

O presidente afegão, Ashraf Ghani, condenou o ataque de hoje através de uma mensagem no Twitter, na qual descreveu o que aconteceu como um “ataque contra a humanidade e um ataque contra a unidade do Afeganistão”.

“Conversei com os meus irmãos Abdullah Abdullah e Khalili. As autoridades de saúde foram chamadas para ajudar as vítimas. As forças de segurança responderão de maneira contundente contra os responsáveis pelo ataque”, acrescentou.

O incidente desta sexta-feira ocorre após a assinatura de um acordo de paz histórico entre os Estados Unidos e os talibãs na semana passada em Doha, no Qatar, que abre a porta à retirada militar dos americanos do Afeganistão após 18 anos em guerra.

O acordo prevê que, dos 13 mil militares norte-americanos presentes no país, apenas restem 8.600 dentro de três a quatro meses, e que a retirada total aconteça em 14 meses.

Essa retirada fica, no entanto, dependendo do respeito dos talibãs pelo acordo e do seu compromisso de combater o terrorismo.

  • Fonte: AgênciaBrasil.com

Faça um comentário

Você pode gostar

Capital

Fundado oficialmente apenas em 1914, o bairro Triângulo é o mais antigo de Porto Velho, abrigava os trabalhadores da Estrada de Ferro Madeira Mamoré,...

Capital

Realizado nesta quarta – feira (07), um leilão na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), na qual foram leiloados 22 aeroportos em 12...

Capital

Profissionais de saúde que estão em atividade nas unidades médico-hospitalares públicas e privadas que atendem pacientes diagnosticados com a Covid-19 continuam sendo imunizados pela...

Rondônia

Nesta manhã, a diretoria do SINPOL, reuniu-se com o Secretário de Saúde, Dr. Fernando Máximo, com o Secretário de Segurança Adjunto, Dr. Hélio Gomes...